O melhor pão do mundo tem um ingrediente especial. Espreitem a receita

Uma das coisas que as pessoas mais andam a fazer na quarentena é pão. Prova disso é que basta ir a um supermercado à procura de farinha e fermento e a única coisa que encontramos são prateleiras vazias. Por um lado, é bom saber que muita gente está com vontade de fazer o seu próprio pão em casa, por outro, sabem ao certo se o vosso pão é o melhor pão do mundo?
Leia este artigo em: 4 mins
16.04.2020
melhor pão do mundo

Sempre fui aquela pessoa que não comia pão. Não gostava porque, depois de duas ou três fatias, sentia-me inchada. Com o tempo fui percebendo que isso acontecia não por comer pão, mas porque não estava a comer pão com qualidade.

Mas o que é que faz de um pão o melhor pão do mundo?

Muita gente diz que um bom pão tem de ter boas farinhas. Na verdade, um bom pão tem de ter boas farinhas, sim, mas não basta. Há que ter em conta também o tipo de fermento que usamos para o preparar. Façam o exercício e, da próxima vez que forem comprar pão fora de casa, olhem para a lista de ingredientes. Vão encontrar coisas como amidos, açúcares, entre outros. Tudo coisas que vão alterar o vosso pão e mexer com o organismo. Eram estes aditivos que mexiam com o meu intestino e me deixavam tão inchada e mal disposta sempre que comia mais do que uma fatia.

Ainda há dias falava com a minha mãe ao telefone e ela dizia que tinha ido ao supermercado comprar farinha e fermento. Claro que lhe disse logo que ela não precisava de comprar fermento nenhum porque, na verdade, o melhor pão do mundo só leva quatro ingredientes:

— Farinha

— Água

— Sal

— Tempo

Este último é talvez o mais importante, porque para se ter o melhor pão do mundo há que ter um ingrediente fundamental: a massa mãe.

O que é massa mãe?

Podem estar a perguntar-se sobre o que é isto da massa mãe, e é nada mais, nada menos, do que um fermento natural. Quando foi a última vez que olharam para o rótulo de um fermento que compram no supermercado? A massa mãe leva apenas dois ingredientes: farinha e água. Ah, e o tempo, de que vos falei acima.

É que para fazer massa mãe é preciso ter muita paciência e, acima de tudo, saber esperar para comer aquele que vai ser, sem dúvida, o melhor pão do mundo. Este fermento, que depois é utilizado para fazer o pão e, por ser tão natural, torna o glúten das farinhas que se usam depois mais digerível e tolerável para o nosso organismo. Com isto, não quer dizer que o pão feito com massa mãe não tenha glúten e seja apto para quem tem doença celíaca ou seja intolerante a esta proteína, porque não é, mas é ótimo para quem, como eu, se sentia inchado depois de comer duas ou três fatias.

O pão que como todos os dias é feito no Alecrim aos Molhos, a mercearia biológica ao pé de minha casa. É o Carlos que o prepara todos os dias, com carinho. E, para fazer este incríBel pão, ele também prepara a massa mãe, como podem ver nesta fotografia, com muita calma, porque é preciso saber esperar.

Se querem saber como se prepara esta massa mãe, podem espreitar este artigo que li na MAGG onde está a receita completa e o passo a passo. O processo é muito simples, mas leva algum tempo. Esperar é uma virtude, malta. No final, compensa.

O melhor pão do mundo

Como vos disse, o pão com massa mãe é, para mim, o melhor do mundo. Como quase todos os dias ao pequeno almoço uma fatia deste pão com banana, manteiga de amêndoa ou com outros recheios que tenho em casa.

Vou sempre buscá-lo ao Alecrim aos Molhos, que durante esta pandemia está com serviço take away para a cafetaria — podem ver na página de Instagram deles o que têm disponível todos os dias. Num dos dias em que o fui buscar, lembrei-me de pedir ao Carlos e à Mariana para fotografarem todo o processo de preparação do pão e me darem a receita, para partilhar convosco.

Depois de ver o passo a passo e as dicas do Carlos, sinto que já estou preparada para me aventurar e preparar o meu próprio pão em casa. O melhor pão do mundo. Vejam abaixo a receita e o passo a passo completo. Se fizerem o vosso pão, partilhem comigo os resultados.

O pão do Alecrim

Ingredientes:

— 500 gramas de farinha (usem boas farinhas, como a de espelta)

— 8 gramas de sal

— 330 gramas de água

— 100 gramas de massa mãe (se quiserem comprar massa mãe já pronta, o Alecrim está a oferecer um pote, que depois devem alimentar em casa, na compra de 5 quilos de farinha)

Preparação:

Pesar a farinha, o sal e a água e juntar tudo numa taça até formar uma massa. Deixar a levedar durante cerca de duas horas para duplicar o tamanho.

Adicionar as 100 gramas de massa mãe e amassar. Nunca se esqueçam: o melhor pão é sempre muito bem amassado. Devem amassá-lo durante, pelo menos, 10 minutos sem parar.

Colocar o pão no cesto ou na forma, polvilhada com um pouco de farinha, e fazer uns golpes para o pão crescer bem e dentro dos limites da forma. Nesta altura, liguem o forno a 210 graus e deixem estar a essa temperatura durante 10 minutos.

Baixem a temperatura do forno para 180 graus e coloquem o pão lá dentro por 30 minutos, no mínimo. Mas vão olhando e vendo como está a crescer e se está douradinho. Depois, é só retirar e, mais uma vez, saber esperar, pelo menos, uns 20 minutos até partir e saborear.