O meu ramen preferido – que agora também pode ser feito em casa!

Se há coisa que adoro é um bom ramen e o meu sítio de eleição para o comer é o Koppu, em Lisboa.
Leia este artigo em: 5 mins
26.04.2020

É no Koppu que como aquele que, para mim, é o melhor ramen da capital. O caldo quentinho de shitake, a combinação da alga kombu com espinafre, com o tofu marinado e o ovo “Ajitamago”, que é maravilhoso.

Durante a quarentena passei algum tempo a sentir saudades deste ramen que me aquece o estômago, e a alma também, que a comida também serve para nos deixar felizes. Entretanto, recebi a boa notícia de que o Koppu estava a aceitar encomendas para takeaway e a fazer entregas em casa. Não tardou muito até encomendar o meu ramen. Foi só montar a minha taça, aquecer o caldo, deitar por cima e saborear.

Não sei se gostam tanto de ramen como eu, mas se sim, pedi à Susana Borges, chef do Koppu, que partilhasse comigo a receita daquele que costumo pedir.

Malta, eu não me vou aventurar a fazer este ramen, prefiro encomendar, mas se há por aí quem goste de se aventurar, então, está aqui a sugestão. Deixo-vos até um desafio: se prepararem este ramen, partilhem comigo os resultados. Publiquem nas redes e mencionem-me, para conseguir ver os vossos pratos!

Ramen, ao “meu” jeito

A receita tem vários passos e leva algum tempo. Lembram-se quando vos falei do pão do Alecrim neste artigo? Esta receita também precisa desse ingrediente tão especial: o tempo, e muita paciência. No final, vai valer a pena.

Caldo de Shitake

— Cogumelos Shitake

— 4 Cogumelos Shitake grandes e secos

— 600 a 800 mililitros de água

Colocar os cogumelos frescos e secos numa panela funda e deixar de molho durante a noite ou, se tiverem pouco tempo, adicionar água quente por 10 minutos.

Espremer os cogumelos e, em seguida, removê-los do caldo. Reservar o caldo durante 2 a 3 dias. Pode usar os cogumelos como “topping“ ou guarnição do ramen.

Taré de soja, que vai servir para marinar os ovos e temperar o nosso ramen. Nesta opção usamos tamari, para uma ver~soa sem glúten.

— 400 mililitros de tamari

— 100 mililitros de sake

— 100 mililitros de mirin

— Duas colheres de sopa de açúcar mascavado ou moreno

— 10 centímetros de alga Kombu

— 3 centímetros degengibre descascado e laminado

— Um  alho descascado e sem pele

— 200 mililitros de água

Juntar todos os ingredientes líquidos, numa panela. Sissolver o açúcar, juntar os dentes de alho pelados, o gengibre descascado laminado e aalga kombu. Levar a lume brando durante, aproximadamente, 20 minutos até o álcool do sake evaporar.

Reservem o “taré” num recipiente no frigorífico. Descartar a alga kombu. Reservar o alho e o gengibre que podem usar como topping ou guarnição do vosso ramen.

Ovos Ajitamago”

— Quatro ovos furados

— 800 mililitros de água

— 500 ml de taré de soja já preparado previamente

Colocar uma panela média ao lume com a agua até ferver. Furar 4 ovos e, quando a água estiver a ferver, colocar os ovos com uma espumadeira, e contar entre 5 minutos e meio a 6 minutos com a panela tapada. O ponto de cozedura dos ovos depende muito da panela utilizada e da temperatura. Podem ter de ajustar.

Enquanto os ovos cozem preparar um recipiente com água e gelo. Terminado o tempo de cozedura retirar os ovos da água a ferver e colocar no recipiente com gelo de modo a parar o processo.

Aguardar para que esfriem e descascar. Após retirar todos os excessos de casca, lavar e secar os ovos com papel de cozinha e colocar no taré previamente preparado por 10 a 24 horas a marinar no frigorífico.

Preparar o tofu para o topping

— 250 gramas de tofu

— 100 mililitros de molho hoisin

Cortar o tofu em cubos e juntar o molho hoisin, deixar marinar no frigorífico entre 10 a 24 horas.

Caldo de legumes para o ramen vegetariano

— Um alho francês inteiro com rama

— Um aipo inteiro com rama

— Quatro cenouras médias

— Uma cebola

— Uma cabeça de alho

— Um pedaço de aproximadamente 5 centímetros de gengibre

— 10 centímetros de alga kombu

— Um pimento pequeno

— Três litros de água

— Uma pitada de sal

Colocar a água fria ao lume e deixar levantar fervura, Lavar os legumes e cortar todos grosseiramente com cerca de 3 a 5 centímetros de espessura e com casca. Cortar a cebola em quatro com casca. Colocar um pimento pequeno sem sementes e cortar grosseiramente.

Cortar uma cabeça de alho com casca ao meio e colocar no caldo. Laminar o gengibre com casca e colocar no caldo. Colocar o sal e a Alga Kombu.

Após levantar fervura deve manter-se em fervura baixa durante 3 horas. No final juntar o “dashi” de shitake ao nosso caldo.

Preparar os toppings ou guarnições para o nosso ramen e começar a servir

Podem colocar os ingredientes a gosto, obrigatório de usar será sempre a cebola primaveril ou ceboleto.

Lavar e cortar cebola primaveril em lâminas finas.

Preparar o nosso tofu marinado, colocar uma colher de chá de óleo de sésamo e 1 colher colher de óleo vegetal, juntar uma colher de chá de gengibre e alho ralado e saltear o tofu previamente marinado.

Laminar os cogumelos previamente hidratados, colocar uma colher de óleo de sésamo e óleo vegetal com 1 colher de chá e gengibre e saltear os cogumelos, juntar uma colher se sopa de caldo “dashi” de shitake e meia colher de sopa de sake.

Preparar duas ou três folhas de couve bok choi escaldadas em água a ferver e um punhado de espinafres frescos, também escaldados. Cortar em juliana um pouco de alho francês

Juntar o gengibre e o alho, cortados em tiras que resultaram da execução do nosso “taré” de soja.

Retirar os ovos do frio e cortar ao meio e adicionar também alga nori aos pedaços.

Cozer 120 a 130 gramas de massa de arroz por pessoa em água a ferver. Leva apenas dois minutos.

Na taça, colocar duas a três colheres de sopa do taré de soja, um dente de alho, 250 a 300 mililitros do caldo a ferver, juntar o alho, o ovo, o ceboleto, o tofu e os restantes ingredientes que escolherem.

Eu, Isabel

A Isabel nasceu a 8 de maio de 1986 e é natural de Santa Maria de Lamas. Licenciou-se em Ciências da Comunicação, pela Universidade Nova de Lisboa, e fez uma pós-graduação em Cinema e Televisão pela Universidade Católica. Fez um curso de Rádio e Televisão no Cenjor e foi o seu trabalho como jornalista e produtora de conteúdos na Panavídeo que a levou para a televisão, em 2011. Durante 10 anos apresentou programas de entretenimento e, de forma intuitiva e natural, percebeu que aquilo que a move é a criação de conteúdos que inspirem, motivem e levem os outros a agir. Tem uma paixão enorme por comunicar e tudo o que comunica está intimamente ligado a uma vida natural carregada de energia, alegria e simplicidade.

É autora dos livros “O Meu Plano do Bem”, “A Comida que me Faz Brilhar”, “Eu sei como ser Feliz” e da coleção de livros infantis “Vamos fazer o Bem”.

Descobriu a paixão pela corrida em 2015, em particular pela distância da Maratona – 42.195m. Tem o desejo de completar a “World Marathon Majors” que inclui as 6 maiores Maratonas do Mundo. Já correu Londres, Boston, Nova Iorque e Berlim.

Esta vontade de gerar um impacto positivo nos outros levou-a a criar novas áreas de negócio, como um ginásio de eletroestimulação – o Efit Isabel Silva – uma marca de snacks saudáveis, a IncríBel e a VOA.

A 14 de Dezembro de 2016 lançou o blogue Iam Isabel e que hoje, numa versão mais madura, mas igualmente alegre e enérgica, é o canal DoBem.