Queijo vegan a partir de batatas e cenouras: descobre como!

Marta Candeias Marta Candeias
Leia este artigo em: 2 mins
08.04.2022

Uma das coisas que mais gosto me dá é receber amigos em minha casa! Podermos desligar um pouco das preocupações do dia a dia, à volta da mesa, com um bom vinho e alguns petiscos e uma boa conversa, são alguns essenciais para estes finais de tarde.

Uma das propostas que mais curiosidade suscita é a do meu queijo vegan, feito a partir de batatas e cenouras, contudo que promete uma textura e um sabor de…. queijo! Não acreditas?

Vou ensinar-te a fazer este delicioso fondue vegan, que vai deixar todos rendidos e a quererem mais!

INGREDIENTES

  • 400g batata para cozer
  • 70g cenoura
  • 1/2 a 1 chávena de água 
  • 1 colher de sopa de azeite
  • 1 colher de chá de vinagre ou sumo de limão
  • 6 colheres de sopa de levedura nutricional
  • 1 colher de chá de sal
  • Cebola moída qb
  • Alho em pó qb
  • Pitada de pimenta

PREPARAÇÃO

  1. Começa por descascar e cortar as batatas e a cenoura. De seguida, coloca-as num tacho com água, durante uns 15 a 20 minutos. O objetivo é que estes alimentos fiquem com uma consistência mais macia;
  2. Depois de cozidas, coloca-as dentro de um liquidificador, juntamente com a água da cozedura e os restantes ingredientes descritos em cima;
  3. Prova, retifica temperos e está pronto a servir.

Como viste, este fondue de queijo vegan é super fácil de fazer, uma vez que em menos de 20 minutos tens uma entrada bem saborosa para servir a todos os incrédulos.

Aconselho-te a acompanhares este molho com pão de massa mãe: fica absolutamente divinal e é uma opção bastante leve.

Experimenta e depois conta-me se, também, foi um sucesso na tua casa.

Marta Candeias

Licenciada em gestão e com experiências profissionais muito ligadas a estratégia e ativação de marcas, a Marta é uma apaixonada por tudo o que envolve um estilo de vida mais consciente e natural.

Assumidamente foodie, é uma curiosa em relação a tudo o que sejam novas formas de cozinhar, novos sabores e novos restaurantes. Viaja para “ganhar mundo” e, sobretudo, para poder partilhar o que de (muito) bom e saudável se faz lá fora.