Luísa Almeida

Agricultora biológica

A Luísa não consegue viver sem criar e tem uma enorme capacidade de resiliência: é raro haver alguma coisa que a faça baixar os braços. Os desafios são o seu combustível.

O melhor convite que lhe podes fazer é para um jantar com um bom vinho ou uma viagem pelo mundo à procura de quintas biológicas – o seu vício.

Há dias em que se sente a dona do mundo, outros em que o mundo lhe cai em cima. Há quem diga, que a Luísa é uma pessoa fria e, por vezes, bruta. Ela tende a discordar: é a emotividade à flor da pele e chora de emoção, se o estiver a sentir.

Só há um assunto que lhe tira o sono: as “tristezas” dos seus filhos.

A Luísa podia ser a minha mãe. Tenho muito dela. É genuína e espontânea. É louca nas ideias e isso fascina-me. Constrói na intuição e isso causa-me muito admiração.