Germinados: comida viva e saudável

Do BemDo Bem
Leia este artigo em: 3 mins
05.11.2022

Já ouviste falar em GERMINAÇÃO? Provavelmente sim, mas será que sabes exatamente o que é e quais os seus reais benefícios? Eu sou um médico apaixonado por alimentação saudável e vou explicar qual a sua visão sobre os alimentos germinados – comida viva e saudável – do ponto de vista da Medicina Ortomolecular.

A definição mais perfeita do processo de germinação é DAR VIDA a um alimento. É simular o ambiente que este gostaria para nascer e deixar brotar toda vitalidade que existe no seu interior e, dessa forma, transformar uma estrutura inerte e adormecida num alimento cheio de nutrientes e energia vital. O alimento germinado é igual a um bebé, com toda a força e energia de um recém-nascido. E quando os ingeres, todo este vigor passa para ti – por isso usamos o termo “alimento biogênico”, alimento que gera vida.

A germinação é um processo muito prático, rápido, econômico e saudável. Se consegue multiplicar o valor biológico a partir do aumento das quantidades de vitaminas, minerais, fitoquímicos e antioxidantes do alimento, além de melhorar muito sua digestibilidade, uma vez que, a partir desse processo, temos o incremento da atividade das enzimas presente neste. E ainda, a partir desse processo, existe uma desativação das substâncias “anti-nutricionais” como os fitatos, que interferem com a absorção de nutrientes.

É possível germinar diversos tipos de alimentos: cereais integrais, leguminosas, oleaginosas, sementes, etc … O ideal é sempre utilizar o alimento da safra, da época e da região – desta forma terás sempre sucesso, com um alimento fresco e um germinado maravilhoso.

Atenção: determinadas sementes devem ser preferencialmente germinadas ao ar (como a de lentilha, por exemplo) e outras na água, para não sofrerem oxidação (como as oleaginosas). Se o objetivo for a criação de brotos, como a erva-trigo, após o processo de germinação, deve-se levar a semente para a terra para dar seguimento ao processo.

PROCESSO DE GERMINAÇÃO

As condições e tempos de germinação dependem muito do tipo de alimento e do local onde é realizado. Locais onde o clima é muito quente, todo processo de germinação é mais rápido, enquanto que em locais frios, o germinar de uma semente é mais lento e progressivo.

  1. HIDRATAÇÃO: Todo processo começa com a hidratação (demolha) do alimento, e dizemos nesse estágio que estamos a “acordar” a semente. Ideal, em média, é que este primeiro processo demore 12h. Pode ser iniciado logo pela manhã.
  2. DESCANSO: No final do dia, após o término da hidratação, deves retirar a água, lavar as sementes e deixá-la humidecida, num local escuro, para iniciar o processo de germinação. Vai dormir e, enquanto descansas, a semente começa a despertar e ganhar vida.
  3. NASCIMENTO: No dia seguinte, em média, uma vez que existe variações entre os alimentos, começas a observar um broto a nascer, a este chama-se “narizinho”. O processo pode ser interrompido assim que mais da metade das sementes já estejam com este brotamento, e assim, o alimento já estará pronto a ser utilizado para consumo, necessitando em alguns casos de um posterior cozimento.

O teu alimento vivo e nutritivo já está pronto para consumo, agora é só aprender a fazer receitas saborosas, coloridas e diversificadas com as dádivas alimentares que a natureza nos dá todos os dias.

Eu sou Rodrigo Ayoub, mentor da DoBem.

Se quiseres saber mais sobre o processo de Germinação, espreita este artigo.