Como criares o teu negócio em 5 passos

Leia este artigo em: 4 mins
12.11.2022

Começar um novo negócio não é uma tarefa fácil, mas é uma tarefa possível! Sobretudo se for essa a tua vontade e se esse negócio estiver alinhado com os teus talentos e motivações. Neste artigo, de uma forma prática e objetivo, explico-te como criares o teu negócio em 5 passos. Estás preparada/o?

Então, vamos começar! Tudo se inicia pela ideia.

1. Concebe e amadurece a tua ideia

O primeiro grande passo na criação de um negócio é a conceção da ideia. A ideia não precisa de ser pioneira, mas deve ser pensada com paixão. Nesta fase o teu investimento não se contabiliza em euros, mas em tempo que vais dedicar à concretização da tua ideia. Para isso podes procurar várias fontes de inspiração, mas é fundamental que não te desvies da tua essência e dos teus talentos, daquilo que te é inato e que revela a expressão do que és. É nesta fase que defines, por alto, os alicerces do teu projeto. Para ajudar a testar a viabilidade da tua ideia, procura responder às seguintes perguntas:

A quem se dirige o meu produto ou serviço?

  • Que nicho de mercado necessita do que tenho para oferecer?
  • Que produtos irei vender/ que serviços irei prestar?
  • Qual a minha concorrência?
  • Quais os benefícios e os fatores diferenciadores da minha oferta?
  • Que preço posso cobrar pelos meus serviços?
  • De que infraestruturas vou precisar para concretizar o meu projeto?
  • Quais são os riscos de mercado (tecnológico, regulatório e de execução)?
  • Que investimento inicial vou necessitar e como me vou financiar?
  • Qual a estrutura de custos e proveitos ideal para que o negócio liberte o valor que pretendo?

O realismo deve pautar a definição da tua ideia, embora seja natural que não consigas prever tudo nesta fase. Porém, enquanto planeias, antecipas uma série de desafios que te possam surgir.

2. Testa a tua ideia

Esta é a fase em que vais testar se a tua ideia tem potencial. Rodeia-te de pessoas da tua confiança, conta-lhes o teu projeto e avalia as suas potencialidades. Fala com os teus pais, companheiro(a) ou amigo. Ouve o que eles têm para te dizer e incorpora esse feedback no teu projeto. Para isso, investe tempo na pesquisa e traz para o papel…

  • as especificidades do teu produto/serviço
    • em que consiste?
    • quais as suas caraterísticas?
    • quais os benefícios que promove?
    • qual a sua potencial evolução?
  • o perfil do teu cliente
    • como o descreves?
    • o que é que esse cliente procura?
    • que necessidades e receios tem?
  • a dimensão do mercado-alvo
    • que estimativa fazes do mercado que vais servir?
    • onde se localiza?
    • como podes chegar a mais pessoas e escalar o teu negócio?
  • a concorrência
    • que atributos tem o teu negócio face à concorrência?
    • quem partilha o mesmo mercado contigo?
    • como é que a concorrência oferece algo ao mercado e que experiência proporciona?
    • faz sentido que te alies a alguém que já está no mercado?
  • as etapas legais pelas quais vais ter de passar até oficializares o teu negócio
    • o plano de marketing, no âmbito do qual defines como e onde vais divulgar o teu projeto (quais os canais próprios, digitais e tradicionais, que vais criar?
    • através de que canais de terceiros poderás divulgar a tua oferta?

3. Rodeia-te da equipa/parceiros certos

Cria o teu círculo de pessoas que possam enriquecer o teu projeto e de parceiros que te possam ajudar caso hajam matérias que não dominas na perfeição. Procura pessoas que partilhem a mesma visão de negócio e ambição que tu e te ajudem a chegar onde queres chegar.

4. Elabora o Modelo de Negócio

É nesta fase que discutes estratégias, defines prioridades, descartas ideias menos boas e te focas nas vingadoras.

O Modelo de Negócio é a lógica pela qual uma empresa ganha a vida. É o plano que vai descrever o modo de funcionamento do teu negócio, ou seja, como é que planeias transformar a tua ideia num negócio exequível e sustentável, respondendo ao pormenor às questões que já elenquei no passo 1 e 2.

É uma das fases mais cruciais e complexas, pelo que não te inibas de procurar apoio especializado, nomeadamente mentores que te possam ajudar nesta fase. Por outro lado, se achares que tens bases para poder realizar este trabalho de forma autónoma, sugiro que recorras a modelos como os abaixo:

5. Abre atividade/ constitui empresa

Esta é a fase mais burocrática de todo o processo e deves avaliar qual a forma jurídica ideal para o teu negócio: podes apenas abrir atividade e ser trabalhador independente, ou vir mesmo a constituir a tua empresa. Se tiveres oportunidade, recorre a um(a) contabilista para te ajudar a perceber qual a situação mais vantajosa para o teu caso.

1, 2, 3, 4, 5… parece-me que estás preparado(a) para arrancar com o teu projeto/negócio!

Assegura-te que estás pronto(a) para receber os teus primeiros clientes e, ao longo do processo, aproveita para ir ajustando o teu modelo de negócio inicial, confiando que nunca estará completamente fechado e que deve ir sendo ajustado à realidade que vais construindo.

Deixo-te, ainda, aqui, um booklet que podes preencher para te ajudar a criar o teu Modelo de Negócio.

Agora vai, que tens clientes à espera!

Inês Lima

Inês Lima passou a fase em que quis ser cabeleireira e educadora de infância, para chegar aos 18 anos e não ter qualquer dúvida sobre o curso que queria tirar: Gestão. Matérias como Estratégia, Marketing, Organização ou Finanças passaram a fazer parte da sua vida e têm-na acompanho ao longo dos 19 anos de carreira.

Começou como consultora na Deloitte, liderou várias áreas nas Páginas Amarelas, fez parte da equipa de arranque da Deloitte Digital e é subdiretora de Comunicação na EDP SA, desde 2017.

No final de 2020, percebeu que seria ainda mais feliz se pusesse os seus talentos ao serviço de pessoas que quisessem lançar os seus negócios e, em paralelo com a sua atividade profissional, começou a ser mentora de empreendedores e ajuda-os a passar as ideias do papel, para o Mundo.