La Bonne Crêpe tem crepes saudáveis com farinha de trigo sarraceno

Leia este artigo em: 3 mins
22.05.2021
Crepes saudáveis

Lembro-me bem daquilo que me levou a esta creparia: Portugal jogava com a França e a minha amiga Maria convidou-me para ir com ela a este espaço assistir ao jogo.

“Vais gostar dos crepes! Tem doces e salgados, mas a massa é de trigo sarraceno

Depois disto, fiquei tentada a experimentar. O trigo sarraceno é uma semente isenta de glúten e é muito nutritiva. Costumo consumir no lugar do arroz. Não é muito comum encontrarmos uma massa de crepes partir de outros cereais e sementes. Deixo-vos aqui um dos textos que escrevi na altura que lá estive.


Uma amizade duradoura, uma paixão em comum por Lisboa e uma vontade antiga de criar um negócio: assim nasceu a La Bonne Crêpe. Jonathan e Jason, irmãos, juntaram-se a dois dos seus amigos, Adrien e Maxence, para darem vida ao projeto que tinham em mente há cerca de dois anos: abrir um restaurante de crepes saudáveis.

Foi perto dos 18 anos de idade que os luso-descendentes pensaram em começar um novo projeto. Indecisos entre o mundo da restauração e o têxtil, acabaram por optar pela restauração, ramo no qual não tinham experiência, mas sim uma grande paixão.

Depois de uma formação na área, os fundadores nascidos em França viram numa das cidades que mais adoram, Lisboa, uma oportunidade para criar um conceito todo à volta de crepes doces e salgados. Estes últimos foram inspirados na galette francesa e, por isso, marcam a diferença ao serem feitos com farinha de trigo sarraceno: um produto sem glúten e que não causa aquela sensação de estômago pesado depois de comer.

“Em França, quando as pessoas comem um crepe é uma festa. A nossa vontade era encontrar um produto que os clientes adorassem e sobre o qual pudéssemos discutir e falar, porque a relação com o cliente é muito importante para nós”, explica Jonathan. “Quando se come farinha de trigo, que tem glúten, ficamos logo com a sensação de barriga cheia. Se comer uma sanduíche, cheia de ingredientes, acaba por estar satisfeita, mas também fica com a sensação de que comeu demasiado. O bom dos crepes salgados serem feitos com trigo sarraceno é que vai ficar satisfeito e sem sensação de enfartamento, ainda que sejam crepes substancialmente recheados.”

Quanto à ementa de crepes saudáveis, existem várias opções. Tem seis combinações diferentes tanto nos doces como nos salgados mas, se preferir outra coisa que não um crepe, pode pedir um açaí e uma cookie caseiras. Existe também o menu almoço (8,90€), que inclui um crepe salgado e uma bebida, e ainda o menu estudante (6,90€), onde pode pedir um crepe salgado e uma bebida.

Mas se mesmo assim, nenhuma lhe parece a escolha certa, não perca o entusiasmo. No La Bonne Crêpe, para além de poder personalizar o seu crepe, pode comer a qualquer hora do dia, seja ao almoço, lanche, jantar ou até mesmo à ceia. Chocolate salgado, manteiga de amendoim, queijo, nutella, ou até mesmo legumes e carnes são algumas das opções com que os pode rechear.

Outro dos pilares importantes do restaurante é a sustentabilidade. A qualidade dos produtos é das principais preocupações dos donos, sendo que tudo é feito na hora e com produtos frescos, quase todos nacionais. Já as embalagens são biodegradáveis, tal como os copos, que são feitos à base de amido de milho.  

Fotografia original do La Bonne Crêpe

Neste local “onde os clientes podem comer produtos saudáveis sem esperar meia hora, e partilhar os momentos com as pessoas que mais amam”, como explica o responsável, poderá esperar um ambiente relaxado, tranquilo e, também, instagramável.

O restaurante tem ainda serviço de takeaway e pode encomendar os seus crepes através da Uber Eats e da Glovo.

La Bonne Crêpe

Morada: Rua Marquesa de Alorna 30A, Alvalade, Lisboa
Horário: Aberto de segunda a sábado das 11h30 às 22h30.
Telefone: +351 917 028 849

Eu, Isabel

A Isabel nasceu a 8 de maio de 1986 e é natural de Santa Maria de Lamas. Licenciou-se em Ciências da Comunicação, pela Universidade Nova de Lisboa, e fez uma pós-graduação em Cinema e Televisão pela Universidade Católica. Fez um curso de Rádio e Televisão no Cenjor e foi o seu trabalho como jornalista e produtora de conteúdos na Panavídeo que a levou para a televisão, em 2011. Durante 10 anos apresentou programas de entretenimento e, de forma intuitiva e natural, percebeu que aquilo que a move é a criação de conteúdos que inspirem, motivem e levem os outros a agir. Tem uma paixão enorme por comunicar e tudo o que comunica está intimamente ligado a uma vida natural carregada de energia, alegria e simplicidade.

É autora dos livros “O Meu Plano do Bem”, “A Comida que me Faz Brilhar”, “Eu sei como ser Feliz” e da coleção de livros infantis “Vamos fazer o Bem”.

Descobriu a paixão pela corrida em 2015, em particular pela distância da Maratona – 42.195m. Tem o desejo de completar a “World Marathon Majors” que inclui as 6 maiores Maratonas do Mundo. Já correu Londres, Boston, Nova Iorque e Berlim.

Esta vontade de gerar um impacto positivo nos outros levou-a a criar novas áreas de negócio, como um ginásio de eletroestimulação – o Efit Isabel Silva – uma marca de snacks saudáveis, a IncríBel e a VOA.

A 14 de Dezembro de 2016 lançou o blogue Iam Isabel e que hoje, numa versão mais madura, mas igualmente alegre e enérgica, é o canal DoBem.