Eu, Isabel

De corpo e alma. É assim que gosto que me vejam. Porque só assim consigo produzir conteúdos de forma autêntica e inspiradora. É por isto que eu vim a este mundo: para ativar de forma permanente o meu chakra da comunicação e gerar um impacto positivo nas experiências e nos outros.

A felicidade conquista-se com a prática diária de pequenos hábitos que nos devem nutrir e inspirar. Esses hábitos são tão poderosos que nunca vou querer abdicar deles. As nossas conversas vão andar sempre à volta disto…

O que todos desejamos, é sermos felizes. Mas, afinal, o que é a felicidade? O que é “ser-se feliz”? E como podemos ganhar coragem para ir ao encontro deste estado na nossa vida em geral e, também, no nosso trabalho? Se não estão felizes no vosso trabalho, se se sentem perdidos e sem coragem para mudar: têm de ouvir esta entrevista.

A felicidade não é sobre TER, é sobre SER e SENTIR.
Mas… como podemos chegar até ela?


Através do nosso poder pessoal, de conseguirmos trabalhar os nossos medos e as nossas crenças limitadoras e barreiras mentais. Aprendermos a navegar nas nossas emoções, olhar para dentro de nós.
E assim se constrói a felicidade. Esta é um processo – e isso tem muita beleza!

Muitas vezes, a falta de propósito e a exaustão mental levam-nos ter aquela sensação de que estamos vazios e perdidos.


Se não estão felizes no vosso trabalho, se se sentem perdidos e sem coragem para mudar: esta é a entrevista para vocês. Aqui, a Madalena Carey, a fundadora da Happiness Business School, explica como é importante promover o bem-estar e a felicidade dos colaboradores dentro das empresas, melhorando as culturas das mesmas e o clima organizacional.

“Não é sobre mim, não é sobre só nós: é sobre tudo aquilo que estamos a criar em conjunto.”

Madalena Carey

A felicidade no trabalho assenta, primariamente, em dois pilares:

A cultura organizacional, por vezes, deteriora a nossa saúde – principalmente a mental. Muitas vezes, ela está doente devido a:

A exaustão mental que muitos de nós sentimos deve-se, também, ao facto de estarmos habituados a achar que “trabalhar muitas horas é um ato heróico” e que a exploração máxima de todos os nossos recursos é natural.

Olharmos para dentro de nós para um futuro mais sustentável.

Madalena Carey

Contudo, o bem-estar emocional, psicológico, físico e tudo mais é um trabalho que requer observação interna. Porque temos crenças que nos limitam e que são o resultado de uma vida inteira de experiências, de coisas que ouvimos e de padrões que vimos. Temos de desconstruir isso tudo.

O que achas que não é possível? O que é que te impede?

É urgente promover a elasticidade mental nas pessoas e quebrar com o mindset de escassez. Não tomar decisões com medo do que vai faltar e do que vão pensar de nós.

A tua vida é o que tu fizeres dela, a cada decisão.