restaurante sustentável

Alimentação

BOWLsta. O novo restaurante sustentável que ajuda a plantar árvores cada vez que encomendar uma bowl

Desde bowls, saladas, sumos e sobremesas, o BOWLsta tem opções para todos, e nem precisa de sair de casa para as provar.

DOBEM.
leia este artigo em: 8 mins

Em tempos de incertezas, a pandemia obrigou-nos a ficar em casa. As nossas atividades diárias passaram a ser feitas entre quatro paredes, no mesmo local onde trabalhamos e dormimos, e os jantares fora deixaram de ser uma possibilidade. Com isto, assistimos a uma queda inevitável do setor da restauração, o que podia significar um grande desafio para quem estivesse a lançar um novo projeto. Mas a pandemia não impediu que nascesse o BOWLsta, o novo restaurante sustentável que funciona apenas em regime de entregas.

Foi precisamente a consciencialização da sustentabilidade associada ao aumento dos serviços de entrega e take away que levou à criação do projecto, que tem uma forte componente ambiental. É que o novo restaurante sustentável também ajuda a plantar árvores cada vez que encomendar uma bowl.

“[Apesar das incertezas que a pandemia trouxe] para o negócio da restauração e entregas ao domicílio foi sem dúvida uma oportunidade e nós quisemos aproveitar e criar um negócio que se diferencia por acompanhar as tendências do mercado”, contam os responsáveis à dobem, acrescentado que, numa altura em que os consumidores estão cada vez mais atentos à alimentação que levam, o BOWLsta quis dar opções, promovendo comida saudável com entregas e embalagens amigas do ambiente.

Já com experiência a nível de restauração por parte da equipa, a ideia, contam, surgiu da vontade “de inovar e fazer as coisas de maneira diferente – criar um food delivery com foco em comida saudável a preços muito competitivos, mas que o fizesse de maneira responsável desde o princípio, ou seja, cujo ADN fosse a saúde pela alimentação e a sustentabilidade.”

“Como para além disso queremos fazer as coisas com um forte compromisso de sustentabilidade, isso acarreta uma pressão grande a nível de custos”, acrescentam. Precisamente pelos preços que mencionam, o maior desafio em abrir este negócio foi “esperar que o consumidor reconheça e escolha, por um preço muito competitivo em relação ao mercado, a opção sustentável que representa a BOWLsta.”

Embora, atualmente, existam inúmeros restaurantes de bowls em Lisboa, os responsáveis garantem que o BOWLsta não será mais um entre tantos outros. Para além da comida ser feita na hora, a embalagem é amiga do ambiente feita com materiais biodegradáveis ou reciclados, as entregas são sustentáveis com zero emissões de CO2, feitas através de motas elétricas.

A importância da sustentabilidade

Os fundadores deste restaurante sustentável sabem da importância da preservação e regeneração do nosso planeta, vendo esta questão como um assunto a ser considerado prioritário nos próximos anos. Por esse mesmo motivo, o restaurante adiantou-se, e em vez de terem atitudes que pudessem prejudicar o planeta e depois compensarem-no de alguma outra forma, criaram métodos para não o afetar logo à partida. Quiseram, por isso, diferenciar-se através de várias iniciativas.

“Não só ao tentar remover ativamente as emissões de CO2 da nossa atmosfera, mas também ter um impacto ao nível de evitar as embalagens mais poluentes“, explicam, acrescentado que, com esta ideia em mente, por cada entrega é contabilizado o CO2 e no final do ano são plantadas árvores. “Cada pedido à BOWLsta, onde as entregas são 100% verdes, gera uma poupança de CO2 ao contrário de um pedido ‘normal’. O que fazemos, é calcular esse CO2 evitado na atmosfera e registamos esse valor no programa de pontos de cada cliente, de tal forma que essa poupança de CO2 vai acumulando durante o ano.”  

Para que cada cliente possa ter garantias da sua contribuição, existe, no perfil de cada um, o valor de CO2 que cada pedido poupou ao planeta e quanto falta para poder plantar uma próxima árvore. Acrescentam ainda que regularmente vão dar a conhecer aos clientes quanto CO2 foi poupado e, no final do ano, vão plantar árvores no valor equivalente a essa poupança.

“Uma árvore jovem consegue remover em média 5.9 quilos de CO2 da atmosfera a cada ano, e essa árvore, em adulta, chega aos 25 quilos.”

As bowls saudáveis do BOWLsta

A cozinha atual, que utiliza energia 100% renovável, fica no centro de Lisboa mas a marca tem como objetivo expandir-se e abrir mais três cozinhas, sendo que a segunda será já este mês, em Carnaxide. Apenas no registo de entregas e sem garantias de um espaço físico no futuro, as entregas podem ser feitas todos os dias das 11h30 às 23h30.

A chef do restaurante, dizem, “tem uma paixão pela cozinha e uma curiosidade constante de conhecer culturas e sabores novos – a começar pelo facto de que a Ana é metade Espanhola, metade Dinamarquesa”.  

Com esta grande curiosidade e vontade de explorar fizeram nascer bowls para todos os gostos, desde as cruas às cozinhadas, mas sempre com ingredientes frescos. Podem ser de salmão, tofu, ou até mesmo frango, sendo que as mais pequenas custam 9,99€, e as maiores 10,99€. Importa ainda referir que a escolha dos ingredientes, frescos, é feita de forma responsável.

restaurante sustentável

Os produtos biológicos podem ser uma opção no futuro, se a escolha dos mesmos for ao encontro com os valores da marca. “Produtos biológicos e/ou locais estão no nosso radar de avaliação constante, sempre respeitando o princípio de que queremos, acima de tudo, democratizar o acesso a food delivery saudável e responsável”.

Para além das bowls, o menu deste restaurante sustentável tem saladas, sumos e sobremesas e os pedidos podem ser feitos através do site ou da aplicação sendo que não há taxas de entrega associadas.

No futuro, e além da abertura das novas cozinhas, os fundadores do BOWLsta querem chegar cada vez mais longe com o seu compromisso de sustentabilidade, continuando a garantir entregas com zero impacto ambiental.

“O nosso objetivo é que toda a cadeia de valor da atividade tenha impacto zero, ainda temos algum caminho a percorrer, mas já estamos muito orgulhosos do que alcançámos”, contam. “Estamos a trabalhar num projeto para minimizar a utilização das embalagens através de um modelo de economia circular e queremos trabalhar com os nossos fornecedores para uma cadeia de valor com impacto zero. Se os consumidores nos acompanharem, queremos realmente ser a alternativa saudável e responsável neste espaço.”