campeão de taekwondo

Vídeo

Campeões. Fui conhecer um campeão de taekwondo e fiquei fascinada com ele

Foi a reportagem mais leve e divertida que fiz até agora, mas isso não quer dizer que este não seja um atleta focado. Saibam tudo sobre o Rui Bragança.

O Rui Bragança é o nosso campeão de taekwondo, uma modalidade que desconhecia completamente até o ter conhecido. Tinha uma ideia do que era, via duas pessoas a combaterem com um capacete na cabeça e um colete, mas achava a forma como eles lutavam entre si muita estranha. E realmente as coisas deixam de ser estranhas quando conversamos com alguém que entende e vibra com a modalidade e que explica tudo com a maior das calmas. É isso que podem ver nestas reportagens. Mas antes disso, quero falar-vos um pouco sobre o Rui.

O oitavo campeão: Rui Bragança

Foi aos 13 anos que o Rui começou a ir com os pais ao ginásio. Na altura, não podia fazer outra modalidade sem ser o taekwondo e ao início não gostava, de tal maneira que pediu para sair ao fim de duas semanas. Como o pai já tinha pago as aulas para um mês, disse-lhe que ele tinha de continuar e que se, depois, continuasse sem gostar, podia sair. O Rui aceitou, e mal ele sabia que essa decisão ia mudar a sua vida.

Passou pelo ABC de Braga, pelo Vitória Sport Club e hoje em dia representa o Sport Lisboa e Benfica. Foi chamado à seleção nacional pela primeira vez em 2007, e na altura conseguiu o 3.º lugar no Campeonato da Europa de Juniores em Baku, no Azerbeijão.

Dois anos depois, começou a estudar Medicina (em 2009) na Universidade do Minho. Enquanto representante da equipa universitária, foi duas vezes campeão da Europa, em 2011 e 2017, e conquistou duas medalhas de prata, em 2015 e 2017.

Também em 2011 foi vice-campeão do mundo e venceu os campeonatos da Europa em 2014 e 2016. Pelo meio, em 2015, conseguiu a medalha de ouro na categoria de -58kg nos Jogos Europeus de Bakú e classificou-se pra os Jogos Olímpicos em 3.o lugar no ranking, em dezembro desse ano. Foi o primeiro atleta português a vencer um combate de taekwondo nos Jogos Olímpicos, tendo perdido o combate que dava acesso às medalhas contra o atleta dominicano Luisito Pie, mas acabou por conquistar uma medalha de bronze.

Neste momento, está em fase de preparação para os Jogos Olímpicos de Tóquio, em 2020.

O dia com o nosso campeão de taekwondo

 Esta reportagem foi um pouco diferente das que fiz com os outros campeões, porque na verdade eu passei um dia com o Rui, quando ele estava a dois dias de participar numa competição de taekwondo na Albânia. E vocês perguntam: “Mas foi diferente em que sentido?”, ora, como ele estava prestes a participar numa prova, a forma como treinava era muito diferente do que se estivesse numa preparação exaustiva. O segredo, explicou-me o Rui, era descansar, reduzir a carga e fazer poucos treinos. Mas sem dúvida que nesta fase, para ele, o mais importante era a hidratação e a alimentação.

E porquê? Porque o Rui, nosso campeão de taekwondo, compete no escalão de menos de 58 quilos, o que significa que, para ele competir, não pode ter um peso superior a isso. Se pensarem bem nisto, 58 quilos para um homem é mesmo muito pouco, e a realidade é que basta ele aumentar 200 ou 300 gramas para ser totalmente desclassificado da prova. É por isso que ele come ao grama, ou seja, tudo é medido e pesado, seja chocolate ou arroz.

Isto causou-me alguma estranheza, e no dia em que o conheci posso dizer-vos que passei toda a entrevista a olhar-lhe para a boca, porque estava totalmente desidratada. Até lhe disse “Rui, tu estás mesmo desidratado” ao que ele respondeu “Eu sei, Isabel, mas não posso beber água, porque a água me vai dar mais peso e eu tenho de desidratar completamente.” Ou seja, ele ainda tem mais um desafio, que só é possível manter se tiver um bom acompanhamento médico e de nutricionistas, caso contrário, pode ser muito perigoso.

Bem, e como é que foi o treino? Muito calmo e relaxado, o que para mim foi ótimo porque eu não percebia absolutamente nada de taekwondo, como podem ver nesta última reportagem, que é de rir. Uma das coisas que mais me fascinou neste dia foi ver a flexibilidade do Rui. Ele já é alto e magro, mas aquela perna dele parece a de uma bailarina, estão a ver? Ele quando estica a perna ela toca-lhe na testa, e ele está super tranquilo. Inacreditável.

Neste dia percebi que, tal como os outros campeões, o Rui é um rapaz bastante focado e com objetivos. É que além de ser campeão de taekwondo, ele está a estudar Medicina e já fez aqueles sete primeiros anos, só falta mesmo a especialidade. Por agora, ele colocou-a na gaveta, porque o foco são os Jogos Olímpicos de 2020, em Tóquio.

Uma coisa que também reparei é que o Rui é muito bom tecnicamente, mas o taekwondo é quase como um jogo de estratégia. Ele tem de estudar muito bem o adversário para conseguir antever o que ele vai fazer num combate. Há muito trabalho de casa por detrás, e o Rui vê muitos vídeos de combates em casa para saber com que pode contar. É mesmo uma atividade muito mental, e por isso não é de admirar que ele me tenha dito que adora jogos de xadrez.

Mais uma vez, foi uma honra conhecer um dos nossos maiores atletas e descobrir uma modalidade que não conhecia. Se gostam realmente de desporto de combate e são fãs de Judo, dêem uma oportunidade ao taekwondo, porque é mesmo espetacular.

Entretanto, se não tiveram oportunidade de ver a nossa entrevista de manhã, recordem esse momento no TVI Player.

VÍDEO

Rodolfo Franco