Estou de volta: Treino intervalado de alta intensidade

Leia este artigo em: 3 mins
12.05.2017

Começar de novo…

Basicamente é isso. Claro que existe sempre a nossa memória muscular… Mas o que é certo, é que a minha lombalgia aguda tirou-me, durante cerca de um mês, um dos melhores momentos do meu dia: o meu treino! Seja corrida, RPM, HIIT ou outra modalidade qualquer… Tirando a natação, eu não podia fazer mais nada. O corpo não deixava. Foi tão difícil no início. Obrigar-me a parar. Mas no final de contas também foi bom. Muito bom, aliás. Obrigou-me a redireccionar as minhas energias para outras coisas. E assim foi.

Ora, se gasto muito menos energia, não preciso de ter tantas reservas no corpo, logo, não preciso de comer tanto (eh pah… e aqui convém não vacilar mesmo. Come apenas o necessário. Nada de “chafurdar” porque depois não tens como gastar). Nadar, Isabel!!! Sim. Descobri que gosto de nadar. Continuo sem perceber grande coisa da modalidade, mas a minha Filipa (PT) deu-me umas aulas e, de certa forma, ajudou-me a não perder toda a minha resistência cardiovascular (já faço 60 piscinas sem parar, hein?!); continuei com alongamentos; fiz todos os tratamentos com o João Catalão (o meu amigo osteopata); e decidi tirar o melhor desta fase menos boa da minha vida.

“Quem anda à chuva molha-se”, certo?! Qualquer atleta e desportista está sujeito a lesões. E o GRANDE atleta é também aquele que sabe lidar com este tipo de situações. Deu para amadurecer. Deu para crescer. E aprendi a controlar melhor as minhas ansiedades.

Agora… Aquilo que realmente me está a custar é perceber – “como eu era… e como eu estou!!!!”. Eu realmente na altura da Maratona de Sevilha estava em grande forma. Eu corria a 4:20 min/km e estava confortável; eu fazia um treino destes com a Filipa e, sendo sempre desafiante, eu sentia-me fortíssima… Agora… Agora é isto que podem ver. O vídeo do meu treino está brutal (o meu Samuel é um editor “do caraças”), mas não imaginam como me custou fazer todos aqueles exercícios ao ritmo que a Filipa impôs. Olha… Não foi perfeito. Mas eu nunca desisti. Deixei tudo naquela BOX de Cross Fit.

E este foi o meu primeiro treino, à séria, depois da minha lesão: um treino intervalado de alta intensidade. Na realidade, queria só partilhar convosco o meu sentimento de vitória e felicidade. Consegui voltar a treinar. Sem dor. E é só isso que importa. Quanto ao resto… Relaxa!!! Eu chego lá. Já faltou mais.


Circuito do treino intervalado de alta intensidade

(x3 circuitos, 1′ cada exercício, 1′ de descanso entre circuitos)

  • Swing Kettlebell
  • Wall sit c/ rotação do tronco e carga adicional
  • Walking lunge c/ carga adicional
  • Slam ball
  • Lombar

Desafio final do treino intervalado de alta intensidade

(10 patamares, dois exercícios; somar uma rep por patamar)

Burpee e Agachamento (C/ carga adicional)

Exemplo:
1 burpee + 1 agachamento
2 burpees + 2 agachamentos
3 burpees + 3 agachamentos
10 burpees + 10 agachamentos


Imagem e edição de Samuel Costa