monopólio

Sustentabilidade

Papel reciclado, plástico de canas de açúcar e peças em madeira. Conheça o Monopólio sustentável

Depois de uma edição inspirada em "Friends" e "Star Wars" e uma pensada para os que gostam de fazer batota, o famoso jogo de tabuleiro tem agora uma versão mais ecológica. E não são só as peças que mudam.

Em festas de pijama, na rua ou até em família. Quem nunca passou um serão a jogar Monopólio? O jogo de tabuleiro é dos mais vendidos no mundo e uma oportunidade de construir um império ao comprar casas, hotéis e ruas, mesmo que seja só no jogo de tabuleiro. E depois de existirem versões para batoteiros, com banco eletrónico e até um jogo inspirado em na saga “Star Wars”, o Monopólio tem agora um novo foco: a sustentabilidade.

O mais recente lançamento do jogo de tabuleiro que já conta com 110 anos de história, cujo editor é a Hasbro — maior produtora mundial de jogos de tabuleiro — lança agora uma versão Monopoly: Go Green Edition. O objetivo? Promover a sustentabilidade, ao introduzir conceitos como energias renováveis ​​e capitalizando-as para construir um mundo verde.

O Monopólio foi lançado por Charles Darrow durante a Grande Depressão e foi inspirado no jogo “banco imobiliário”, criado por Elizabeth J. Magie Phillips. Mais conhecida por Lizzie Maggie, a criadora deste jogo era ativista, designer de jogos norte americanos, poeta, escritora, atriz, engenheira e também estenógrafa.

Criou o jogo com um propósito inicial: utilizá-lo como uma ferramenta para ensinar aos jogadores tudo sobre economia. Contudo, sendo que um jogo onde uns se tornam ricos e outros vão à falência, o Monopólio acabou por se tornar num jogo de ganância, perdendo então o seu objetivo principal.

Imagem retirada da revista Green Queen

Esta edição sustentável faz com que os jogadores tenham de fazer escolhas mais ponderadas e amigas do ambiente. As compras, vendas e trocas de propriedades continuam a existir, mas são agora propriedades verdes, o que faz com que os jogadores tenham de fazer escolhas mais sustentáveis como, por exemplo, aumentar o preço dos alugueres para construir estufas de madeira, e em energias renováveis ​​como, por exemplo, campos movidos a energia solar e parques eólicos. Outra das mudanças está nas linhas ferroviárias que, neste jogo, são substituídas por ciclovias.

O jogo em si e a própria embalagem são feitos de papel reciclado e as fichas foram criadas com um plástico desenvolvido através das canas-de-açúcar. Já os dados e as casas são feitos de madeira e aprovados pelo Forest Stewardship Council, o conselho de Gestão Florestal.

O jogo está à venda através da Amazon norte-americana por 12,34€ ao qual se acresce o valor dos portes de envio. Ainda não se sabe ao certo quando poderá ser adquirido em lojas portuguesas.