conceito sustentável

Sustentabilidade

Innovation Stories. O novo conceito sustentável da H&M com roupa feita a partir de catos (e não só)

Dos colares, aos óculos, às camisas e às calças, todas as peças têm um ponto em comum: são sustentáveis e feitas de vários materiais ecológicos alternativos

Cada vez mais são visíveis os danos que a poluição traz ao nosso planeta e, por consequente, a nós, enquanto seres humanos, e é por isso que é cada vez mais prioritário arranjar soluções para combater o problema. Diminuir a poluição e criar cada vez mais peças que sejam sustentáveis e biodegradáveis é a missão de algumas marcas de roupa, que atualmente o conseguem graças à inovação e constante adaptação. E é com esse objetivo claro, e aliada à ciência que a H&M cria agora um novo conceito sustentável.

Chama-se “Innovation Stories” e vai conter diversas coleções ao longo de 2021. A primeira coleção deste conceito sustentável, com o nome de “Science Story”, tem como objetivo entrar, cada vez mais, no universo da sustentabilidade e contribuir para um mundo melhor. Foi depois de uma longa pesquisa por parte de profissionais e diversas experiências que foi possível chegar ao resultado final.

“A Science Story celebra a poesia da inovação e o valor da experimentação ao desafiar os limites da sustentabilidade através de colaborações com cientistas, investigadores e pensadores. Criámos uma coleção de movimento — em direção a novas soluções, à mudança positiva, à democratização da moda sustentável”, pode ler-se no site da marca sueca.

A Agência Portuguesa do Ambiente, tal como escreve a “SIC Notícias”, afirma que os portugueses deitam cerca de 200 toneladas de roupa para o lixo por ano e que 80% das fibras utilizadas na produção de roupa não são recicladas. Como tal, tornou-se uma prioridade criar roupa que pudesse contrariar estes factos.

Para que as compras de roupa possam ser feitas de uma forma consciente e sem afetar o planeta, a primeira coleção da marca sueca dentro deste novo conceito sustentável contou com uma parceria com a Desserto, uma organização mexicana que criou pele a partir de catos, tornando-a, assim, orgânica e vegan. O processo para a criação desta pele passa por cortar as folhas mais antigas dos catos, lavá-las e depois triturá-las. No final, adiciona-se a forma e a cor e, assim, surgem novas peças de roupa, sustentáveis e amigas do ambiente.

Contou também com o apoio da coleção fabricada com EVO pela Fulgar, uma organização que produz tecidos que derivam do óleo de rícino, uma fonte renovável, fazendo com que as peças se tornem recicláveis. “Oficialmente, para que um produto possa ser considerado de base biológica, deve conter pelo menos 20% de carbono renovável. Este carbono é derivado de plantas ou de matérias orgânicas”, pode ler-se no site oficial da empresa.

Esta não é a primeira vez que a H&M cria conceitos ligados à sustentabilidade. A marca sueca tem já a sua linha Conscious, que incluí várias peças feitas com materiais orgânicos e mais sustentáveis. Além disso, lançou recentemente um projeto de reciclagem de roupa na Suécia, o seu país de origem, o Loop.

A coleção contém várias peças para mulher, homem e também acessórios. Ainda só está disponível para venda no Estados Unidos e no Canadá, mas em Portugal ficará disponível a partir de dia 18 de março, com peças que vão desde os 14,99€ aos 149€. Conheça algumas na galeria.