hortas urbanas

Sustentabilidade

Hortas urbanas e jardins domésticos. As alternativas para cultivos caseiros

Hortini e Flo são duas empresas portuguesas a abraçar o conceito de cultivo em casa e de agricultura urbana. Os seus kits são uma alternativa para começar a semear em casa e cultivar a sua horta privativa.

DOBEM.
leia este artigo em: 7 mins

Com a pandemia — que nos obrigou a passar mais tempo em casa — surgiu uma necessidade de reavaliarmos os nossos hábitos e de nos tornarmos mais sustentáveis. Como resultado, o conceito de hortas urbanas tem vindo a ganhar mais seguidores um pouco por todo o lado.

Para além de ser uma atividade relaxante que requer um envolvimento com a natureza e que nos dá o prazer de acompanhar o desenvolvimento das plantas, a grande vantagem de ter a sua própria horta orgânica é ter a certeza de que os produtos colhidos (como vegetais, legumes e ervas aromáticas) são realmente orgânicos, frescos e de boa qualidade. Como bónus acrescido, a horta proporciona ainda uma ajuda à economia familiar e pode tornar-se ainda num novo hobbie e elo de ligação entre os habitantes da casa.

Exemplo de horta vertical da Marcenaria Amadora
Exemplo de horta vertical da Marcenaria Amadora  créditos: @marcenariaamadora

Quer seja em varandas, quintais, ou terraços, qualquer lugar é válido para começar a plantar hortas urbanas — desde que tenha um espaço que apanhe sol e onde circule o ar. E agora nem precisa sair de casa: há empresas que levam as plantas até si.

“Como millennial cosmopolita que sou, vivo impaciente, ansiosa, sempre na expectativa que tudo seja imediato, à distância de um clique. Desde que comecei a minha horta, a minha relação com a vida e com o tempo mudou completamente, é como se tivesse finalmente despertado para o milagre que é a natureza”, diz Diana Mendes fundadora da Hortini.

A marca foi pensada para todos aqueles que querem colher o prazer daquilo que plantam e para dar uma ajuda para finalmente começar a sua horta naquele cantinho cheio de potencial.Com uma loja online, as opções de compras são variadas e estão disponíveis boxes sazonais com diferentes produtos online.

Durante a quarentena nasceu um outro projeto em Portugal, a FLO. Lançada por Madalena Pereira, a marca trata exclusivamente de flores e tem o objetivo de valorizar e mostrar cada fase de vida de uma flor, elevando valores como a sustentabilidade, a originalidade e um propósito maior.

A FLO disponibiliza caixas com diferentes componentes que permitem a cada cliente semear e cuidar de flores em casa, ou proceder à sua secagem. No seu sitepode encontrar vários kits disponíveis como a “Growing Box”, a “Flower Press”,a “Flower Showcase”, a “Weareflo Box” ou, para quem gosta de surpresas, a “Surprise Box”. As caixas de flores da FLO contêm produtos exclusivos da época e várias edições limitadas ao longo do ano.

Para além das caixas de flores foi também criada uma “Prensa de Flores” para que o cliente possa preservar as suas flores e criar peças de arte como molduras ou postais, e são oferecidos serviços de flower design e personalizações de produtos para ocasiões especiais. Todos os materiais usados na composição das caixas são sustentáveis, biodegradáveis e compostáveis, feitos a partir de papel e madeira e sem qualquer recurso aos plásticos.

Hortas urbanas orgânicas e os jardins domésticos podem ser vantajosos por serem facilmente maleáveis, ou seja, podem ser construídos em qualquer lugar e ao contrário do que muitas pessoas pensam, não necessitam de grande dedicação no dia-a-dia. Então como fazê-lo em 4 passos?

1. Escolha do local: O primeiro passo é escolher onde vai plantar. O local deverá receber luz solar sempre que possível (pelo menos durante metade do dia), deve estar protegido contra o vento e num local de fácil acesso. Segundo a Hortini “acirculação de ar também é importante, por isso se utilizar uma marquise para crescer a sua horta, lembre-se de abrir a janela com regularidade”.

Horta
créditos: @hortacomprazer

2. Saiba onde plantar: É preciso ter em mente quais as necessidades das diferentes espécies e quais os seus tamanhos, ou seja, é necessário o uso de recipientes práticos e adaptáveis ao seu espaço e ao tipo de plantas que pretende cultivar. A plantação podeser feita em vasos, canteiros, camas de cultivo ou até mesmo reaproveitando outros objetos como garrafas de plástico organizadas em horta vertical, caixas de madeira, blocos de esferovite, tijolos ou outros materiais que a sua criatividade lhe permitir usar e com que pode dar asas à imaginação. Independentemente da sua solução, lembre-se que deve ter no mínimo 30 cm de profundidade e orifícios na base para que a água em excesso seja drenada e as raízes não apodreçam.

3. Cuidados a ter: O solo das hortas urbanas deve ser fértil (escolha uma terra rica em matéria orgânica e de pH neutro)e terá que haver uma preocupação com a sua irrigação, mantendo-o sempre húmido. É possível utilizar diversos adubos orgânicos como é o caso de cascas de ovo (uma excelente fonte de cálcio e que oferece uma boa cobertura ao solo), borras de café (aumenta a acidez dos solos e têm os 3 nutrientes principais para as hortas – azoto, potássio e fósforo) e casca de banana (acrescenta sobretudo potássio, mas também fósforo, cálcio e magnésio ao solo).

4. Pesquisa: Lembre-se que um passo importante para cultivar qualquer espécie é a pesquisa. Aprenda o básico sobre o cultivo das espécies que pretende fazer crescer para melhor compreender quais as suas necessidades específicas para o seu bom desenvolvimento.

Texto escrito por Mónica Várzea