refrescar a casa

Sustentabilidade

7 dicas para refrescar a casa de forma sustentável durante os dias de maior calor

Ter cuidado com a alimentação e substituir os têxteis são apenas duas das dicas que podem ajudar a sentir-se mais confortável num ano em que se esperam temperaturas acima dos 40 graus.

DOBEM.
leia este artigo em: 8 mins

As temperaturas já começaram a subir, e apesar de ainda não termos enfrentado uma onda de calor como em anos anteriores, os especialistas garantem que o verão de 2021 será bastante quente. O Centro Europeu de Previsão do Tempo a Médio Prazo espera temperaturas a rondar os 40 graus, em Portugal, nos meses deverão, avança a “TSF”, o que significa que durante os próximos tempos vamos ter de lidar com momentos de muito calor. E se há coisa que precisamos em dias de calor é de refrescar a casa, mas de forma sustentável.

Depois de no inverno termos partilhado as melhores dicas para manter a casa quente sem gastar energia, chegou a altura de descobrir como manter a casa fresca nos dias mais quentes da forma mais sustentável possível. Sabemos que muitas vezes a tendência é recorrer a soluções que consumam energia, como aparelhos de ar condicionado ou ventoinhas — já para não falar das pessoas que simplesmente abrem a porta do congelador para sentirem o fresco. Contudo, há formas mais simples e muito mais ecológicas de o fazer.

A pensar nos dias mais quentes e na vontade de manter a sua casa fresca falámos com Catarina Barreiros, uma das grandes referências no que toca à sustentabilidade em Portugal e criadora do projeto Do Zero, que nos sugere 7 dicas para refrescar a casa de forma natural.

7 dicas para refrescar a casa de forma sustentável

Abra as janelas, pelo menos, um minuto por dia

Abrir janelas é um passo que não pode faltar, mas deve fazê-lo da forma certa. No verão as horas mais frescas costumam ser logo pela manhã, ao final da tarde e durante a noite.

Estas devem, por isso, ser as alturas em que abre várias janelas em sua casa para que possa haver circulação do ar. O que é isso lhe traz? Um ar com melhor qualidade e uma casa mais fresca.

As cortinas fechadas ajudam a refrescar a casa

Se, por um lado, as cortinas aquecem uma casa no inverno, no verão fazem o oposto. O calor também passa pela luz, portanto, ao fechar as suas cortinas, mantendo o ambiente mais escuro e baixando também os estores, os espaços vai ficar mais confortáveis.

No entanto, não feche os estores todos. Mantenha o mínimo de luz para que consiga ver tudo dentro de casa e não tenha de acender luzes enquanto ainda é de dia, evitando assim consumir energia desnecessária.

Tire os tapetes

Se há altura em que se pode livrar dos tapetes, é no verão. “Mesmo que o chão seja mais quente, como é o caso da madeira, o tapete vai concentrar ali mais energia, portanto, nós vamos querer tirá-lo para estarmos mais frescos e em contacto com o chão”, explica a Catarina Barreiros.

Opte por lençóis mais frescos

Escolher bem o tecido com que vai dormir é essencial para estar confortável em dias de maior calor. Os lençóis mais acetinados vêm substituir os de flanela e os de algodão, com mais fios, tornam-se uma boa opção. Isto porque este material adequa-se às temperaturas, sejam elas frias ou quentes.

Evite usar o forno e mantenha o frigorífico fechado

Usar o forno em dias de calor vai fazer com que a casa aqueça, por isso, opte por refeições em que não seja necessário usar este eletrodoméstico.

E claro, evite abrir o frigorífico. Ao contrário do que possa parecer, este eletrodoméstico não vai arrefecer a casa e acaba por se estragar se estiver aberto muito tempo, além de consumir energia desnecessariamente.

Escolha bem os alimentos que come

Parece óbvio, mas uma das formas de se manter confortável durante os meses mais quentes prende-se com os alimentos que come. Em primeiro lugar, deve beber água, de preferência natural e, em segundo lugar, deve optar por sopas.

Parece estranho, certo? Geralmente associamos esta refeição ao inverno, mas as sopas têm muita água e, se não gosta de comer sopas quentes no verão, pode apostar nas frias como é o caso do gaspacho.

Conheça bem o seu corpo

Outro dos truques para refrescar é conhecer as zonas do nosso corpo que “aquecem e arrefecem mais depressa, se estivermos mesmo com muito calor, por exemplo: os pulsos, o pescoço e as articulações são, também, mais sensíveis ao frio e calor. Portanto uma toalha de água fria nessas zonas, se tivermos mesmo muito calor, pode ajudar a arrefecer”, aconselha Catarina Barreiros.

Se tem cabelo comprido, no verão opte por deixá-lo molhado depois de um banho. Isso vai fazer com que arrefeça o pescoço.

A nível de equipamentos, qual será o mais indicado para refrescar a casa?

Já sabemos que existem várias formas de arrefecer a casa de forma sustentável. No entanto, haverá dias em que nada parece estar a resultar e em que terá de recorrer a uma opção menos sustentável, como a ventoinha. Se o fizer, e a ter de fazer uma escolha, existe uma opção mais eficiente a nível energético e que promete arrefecer rapidamente qualquer espaço: o ar condicionado.

Isto porque, os aparelhos de ar condicionado atuais já são, segundo a fundadora do projeto Do Zero, “bastantes bons, para além de muito eficientes. Mas se for possível, opte por um com a categoria energética mais elevada que houver. Têm um preço mais elevado, mas ajudam a gastar menos energia, o que por sua vez tem menos impacto nas emissões carbónicas. Esse vai ser sempre o melhor método de arrefecimento“, garante Catarina Barreiros.

Já a ventoinha, não tem o mesmo efeito. O ar da casa não refresca e, para além de estar a gastar energia, não vai ter o objetivo pretendido, uma vez que a ventoinha apenas circula o ar. Mas, no caso de possuir uma ou se esse for o seu método preferencial, há um pequeno truque que pode ajudar a arrefecer a casa: coloque um copo de água com gelo à frente da ventoinha.