looks

I Am Isabel Silva

Vejam os looks que mais usei durante a quarentena

Cheguei a uma altura em que, se não tirasse o fato de treino, "não me sentia". Mostro-vos algumas das peças que mais gostei de usar por estes dias.

Durante 47 dias estivemos a viver em Estado de Emergência. Saídas sim, mas para idas ao supermercado, farmácia, passear o cão e, eventualmente, um jogging no parque ao pé de casa. E se por um lado o conforto da casa é o nosso porto de abrigo, a partir do momento que se torna o nosso único espaço para viver a nossa vida pessoal, profissional e desportiva, pode também tornar-se num perigo para as nossas rotinas. Andar de pijama o dia todo em casa sabe bem, mas só de vez em quando. Ao domingo, por exemplo, é aquele dia de descanso em que não temos horas para nada. Até nos permitimos a esse desleixo nos looks, mas depois torna-se fundamental voltarmos à nossas rotinas. 

O ato de nos vestirmos para sairmos de casa, para trabalhar, acabou por ficar para segundo plano e, a curto prazo, não traz benefícios nenhuns. Ao fim de uma semana em isolamento, já “não me sentia” com o meu fato de treino. Entendem? Estou sempre igual, com o mesmo carrapito, a mesma calça, o mesmo ar. Na verdade é tudo uma questão de ar. E vejam como é que uma “mudança de ar” me aumentou a produtividade no teletrabalho e me fez sentir mais confiante. 

Acordar e vestir-me todos os dias como se fosse sair de casa, do ponto de vista psicológico, faz-me acreditar que estou mesmo fora de casa. 

Quando estou vestida, não caio na tentação de ir até à cama, não me deito no sofá e tenho mais atitude para me sentar corretamente na cadeira em frente ao computador para escrever ou iniciar as minhas reuniões por videoconferência.

E para “mudar de ar” não é preciso colocar uns saltos altos e escolher a nossa roupa mais sofisticada. Também não vou tão longe. Simplesmente estar confortável, bonita e sexy  para encarar a quarentena com mais atitude. 

Estes são alguns do looks que usei na minha quarentena. Simples.

Mas, à parte da roupa, vejam como um brinco, uma mascara de pestana e um batom fizeram a diferença. 

Também temos de alimentar a nossa beleza exterior, não é? É ela o nosso melhor cartão de visita. 

Este primeiro destes looks são uma calças brancas da Aly John. São das minhas preferidas, de cintura subida e muito confortáveis porque são feitas à minha medida. A camisola é da Bimba y Lola, e adoro-a. É da coleção de inverno do ano passado e, além de sexy e justinha, é muito quentinha. Por isso usei-a muitas vezes nestes dias em casa. 

Uma das coisas que fiz muitas vezes foi colocar brincos. Adoro usar brincos, mas especialmente argolas. Então, quase todos os dias andava com argolas. Estas são da Eugénio Campos.

Este vestido é da Bimba y Lola, e vocês pergunta “então mas de vestido, em casa?”, e deixem-me dizer-vos que este vestido, de todos os que tenho, é dos mais confortáveis e quentinhos. De tal forma que não precisava de usar meias com ele.

Estas argolas são diferentes das do look anterior, mas também são da Eugénio Campos. 

Aqui estou com as sapatilhas Hierro V5 da New Balance, que são de trail e de que já vos falei. Gosto muito delas por serem tão versáteis e confortáveis, e até dão um bocadinho de altura. Mesmo estando em casa, gostava de usar sempre ténis diferentes. 

E claro está, em casa, sempre confortável. Esta camisola é de veludo. Adoro o azul petróleo, e adoro conjugar azul e preto. É muito quentinha e confortável. A camisola deve ter uns sete ou oito anos e é da Max Mara,  Mas a peça mais antiga do look são mesmo estas calças de ganga da Replay. Malta, tenho-as há mais de dez anos, desde os meus 23, e ainda as continuo a usar. Acreditam? Os brincos são das Jóias Rocha Carvão.

Lá está, uma peça neutra, esta camisola camel. Camel é das minhas cores preferidas e gosto muito de camisolas de gola alta. É da Companhia Fantástica.

Confortável, quentinha, mas sexy. Estas calças são todas justinhas, de cintura subida, que me fazem a perna mais alta. E para ficar bem sexy escolhi combinar com este batom mate, no mesmo tom da camisola.

Monocromáticos. Adoro. E este da Max Mara, todo rosa, é um exemplo disso. E acaba por ser um conjunto sustentável, porque é bonito assim, como é bonito usar a camisola com outra peça de roupa e vice versa. Dá para ser repartido. 

Para sapatilhas escolhi este modelo da nova coleção da New Balance, os 850, que são diferentes do habitual, com este padrão a preto e branco. 

Esta camisola azul da Bimba y Lola é das minhas preferidas porque, apesar de ela ser larga e curtinha, fica super bem com calças de cintura subida. 

As sapatilhas são outro modelo 997 da New Balance, um dos destaques da coleção da primavera deste ano.

Estas calças pretas da Aly John são realmente muito práticas, porque não têm botão, têm fecho. São das mais confortáveis que eu tenho e das que vos mostro nestes looks.

Neste dia escolhi usar esta T-Shirt de uma marca portuguesa, a Sem Hífen. Podem ler mais sobre eles aqui. Mas adorei as peças deles e o conceito diferenciador desta marca. As sapatilhas são, mais uma vez, as 850 da New Balance.

Adoro os tops da Intimissimi. São simples, básicos e sexy. E bastou juntar com uma calça de ganga e já está. Aqui usei novamente umas calças da Aly John, feitas à minha medida, e o escapulário que a Eugénio Campos me oferece quando foi a inauguração do meu E-Fit Isabel Silva.

As sapatilhas são as 997 H da coleção Primavera 2020 da New Balance. 

Para a quarentena, além destes looks, decidi criar um penteado que, de lado não é assim muito bonito, de lado sim. São dois carrapitos. Mas senti-me muito bom com isto.

Uma coisa que fazia sempre, coloquei sempre um rímel de cor, como nestas fotografias que podem ver. Não sei, sentia-me bem. E não é preciso grande explicação. Sentia-me bem, só isso.