Shopping

Greenin. A nova marca de roupa de desporto portuguesa com ADN consciente e sustentável

Dos artigos de desporto às t-shirts irreverentes, por cada peça vendida, vai ser plantada uma árvore em Portugal. Conheça algumas das peças desta marca portuense.

A nova marca de roupa de desporto portuguesa, a Greenin, nasceu no final de 2020, no Porto, com uma missão: produzir roupa “atemporal de elevada qualidade” e que correspondesse às necessidades concretas das pessoas, inspirando-as a ter um dia a dia mais ativo e confinante. Focada maioritariamente na sustentabilidade, não deixa de lado o estilo e, principalmente, o conforto.

Numa altura em que são cada vez mais as pessoas que se preocupam em fazer compras conscientes e amigas do ambiente, têm também vindo a surgir várias marcas que vão ao encontro destas preocupações.

Cristina de Almeida, consultora de imagem da Greenin, é especializada em moda sustentável e começou a sentir alguma dificuldade em trabalhar com marcas que, para além de sustentáveis, fossem também criativas e irreverentes. “Então, a Cristina decidiu criar uma marca que apostasse não só num ADN mais divertido, mas que fosse também uma marca com uma atitude diferente no mercado. Foi dessa necessidade da Cristina que decidimos avançar com o projeto”, começa por contar Pedro Graça, Brand Manager da Greenin, à dobem.

Começar em tempo de pandemia não foi um impedimento visto que o objetivo nunca será vender em grande escala, mas sim apostar num posicionamento mais elevado. “Achámos até que nos podia ajudar porque a nossa aposta é, sem dúvida, o e-commerce e a pandemia veio revelar este crescimento”, afirma Pedro.

No caso da Greenin, a arte é ainda tida em atenção sendo a coleção desenvolvida em colaboração com artistas nacionais, com o objetivo de os apoiar, uma vez que uma percentagem das vendas reverte a favor dos mesmos. As peças, que vão desde o equipamento de desporto às t-shirts irreverentes, são produzidas em pequenas quantidades de modo a evitar o desperdício que é ainda um dos maiores problemas da industria da moda.

“As nossas produções são muito limitadas porque também obedecem a outro critério, que nós queremos começar a trabalhar ainda com mais rigor, que é responder a necessidades concretas de micro comunidades”, revela Pedro dando um exemplo. “A Cristina anda no ginásio e a personal trainer dela comentou que lhe fazia muita falta uns bolsos nas leggings e que não consegue encontrar. E nós decidimos que as próxima leggings vão ter bolsos”, admitindo que estão atentos às necessidades dos que os rodeiam.

Na Greenin, também os materiais são escolhidos ao pormenor de modo a que a linha tenha como base um ADN amigo do ambiente. São orgânicos, reciclados e provêm de desperdícios industriais ou têxteis. Quanto às técnicas utilizadas, estas são também o mais “eco-friendly” possível dando primazia, por exemplo, à impressão com tintas de pigmentos à base de água, de menor toxicidade.

Numa altura em que devemos apoiar a economia nacional, a marca dá ainda prioridade a fornecedores locais, reduzindo assim a sua pegada ecológica. Mas atenção, porque a preocupação ambiental não se limita apenas às peças já que até as embalagens obedecem às práticas de eco-design — são compostáveis e feitas de bio-polímero, milho biológico e palha de trigo.

E não se preocupe porque, se era daquelas pessoas que tinha por hábito cortar as etiquetas, já não vai precisar de o fazer. A marca aboliu as etiquetas em papel sendo toda a informação imprescindível impressa no próprio tecido.

Contudo, para além de todas estas preocupações, a Greenin decidiu ainda que por cada peça vendida será plantada uma árvore, apoiando assim a replantação das florestas nacionais em colaboração com a Associação ZERO.

“Nós sempre tivemos essa preocupação com o ambiente, mas queríamos passá-la mesmo para a prática. Depois de investigarmos e vermos a que projetos nos podíamos juntar, descobrimos a Associação Zero que é uma das principais associações ambientais em Portugal e que tinha esse projeto interessante de plantar uma árvore que se poderia agregar a ouros projetos”, explica o Brand Manager, referindo que a ideia será convidar alguns dos clientes da marca para a plantação.

Na fotogaleria, conheça algumas das peças da Greenin, a nova marca de roupa de desporto portuguesa.