protetor solar

Shopping

Faz mesmo diferença usar um protetor solar com fator de proteção 100?

Existem cada vez mais opções com este fator de proteção no mercado, mas uma especialista explica que o problema está longe de ser esse.

O mundo divide-se entre dois tipos de pessoas: os que colocam protetor solar até formar uma camada branca e espessa, mesmo que não saiam debaixo do chapéu, ou os fortes que não passam qualquer tipo de proteção na pele e acabam o dia de praia com um escaldão de fazer inveja a qualquer lagostim. E se os do último grupo não estão minimamente preocupados em escolher um fator de proteção, os primeiros passam horas a questionar-se se um produto com fator de proteção 50+ é menos eficiente que um de 100. 

Com a quantidade de informação disponível, há quem se preocupe cada vez mais em apostar num bom protetor solar, o que muitas vezes significa procurar um índice de proteção mais elevado. No entanto, e tal como explica a dermatologista Susana Vilaça, há um fator bem mais importante que o índice de proteção solar. 

“O que importa é colocar bem, e de forma correta, e é isso que não fazemos por si só”, explica a especialista do Hospital dos Lusíadas. “A realidade é que deveríamos aplicar 2 miligramas de produtor por cada centímetro cúbico de pele, e raramente o fazemos.”

A aplicação do protetor, continua a especialista, é essencial para garantir a proteção da pele, mas não menospreza a importância do índice de proteção. Até porque, tal como explica à dobem., há muita gente que acredita que basta aplicar qualquer protetor para conseguir defender a pele das agressões solares. 

“Usar um protetor com FPS 6 é totalmente irrisório”, garante Susana Vilaça. “a pele normalmente queima muito mais, mas também tem outros problemas associadas. Além disso, já não há grande mercado para isso, porque as pessoas estão cada vez mais preocupadas com o fotoenvelhecimento da pele.”

É esta crescente preocupação com a saúde da pele que tem levado cada vez mais pessoas a procurarem protetores que as mantenham protegidas da melhor forma possível. Tal como explica à dobem., há até marcas de maquilhagem que já utilizam proteção solar nos seus produtos, precisamente pela preocupação dos consumidores. 

Existe uma diferença entre usar protetor solar com FPS 50+ e 100?

Nos últimos anos têm surgido cada vez mais opções de protetores solares com fatores de proteção 100, o que dá a sensação de que a proteção é mais elevada, certo? Não necessariamente, diz a dermatologista. 

“A partir dos 30 e no 50 temos um índice de proteção de aproximadamente 98%, que é o que queremos atingir”, garante Susana Vilaça. “Se nos 50+ já temos uma margem de 97% de eficácia para cima, os 100 muitas vezes não acrescem muito mais.”

A explicação da especialista vai ao encontro do que escreve a The Skin Cancer Foundation no seu site oficial, onde se pode ser que é recomendável utilizar diariamente um fator de proteção solar de, pelo menos, 15. Para quem praticar atividades ao ar livre ou estiver muito tempo ao sol, na praia, por exemplo, deve apostar num cuidado com FPS 30 ou superior, que seja resistente à água e com alto espectro de proteção contra raios UVB e UVA. 

A dermatologista reforça, mais uma vez, que o principal será sempre aplicar uma boa camada de protetor solar pelo rosto e pelo corpo, porque só assim será possível conseguir garantir a proteção. O produto deve também ser aplicado a cada duas horas, de forma a garantir que a pele está sempre segura.

Na fotogaleria, conheça alguns produtos com fator de proteção a partir de 30 que pode utilizar diariamente.