Shopping

Alentejanos, biológicos e sustentáveis. Descubra os novos sabonetes da Pepe Aromas

Depois de anos dedicados à comercialização de figo-da-índia fresco, os irmãos José e Susana viram-se com toneladas de fruta em excedente. Da necessidade de tornar o negócio mais sustentável, nasceram vinagres, geleias e agora sabonetes artesanais.

A família dos irmãos Susana Neves e José Ferrão sempre esteve ligada à agricultura. No concelho de Arraiolos, no Alentejo, mais precisamente no Vale do Pereiro, os pais de Susana e José trabalhavam com montado, cortiça e azeite. O negócio passou para os filhos que, em 2013, introduziram uma nova valência nos negócios da família e se dedicaram ao cultivo de figo-da-índia num pomar de 25 hectares.

Mas passado algum tempo, Susana Neves e José Ferrão perceberam que ficavam com muito desperdício em mãos e começaram a pensar numa forma de reutilizar o excedente, de forma a que todo o negócio fosse mais sustentável. “Quando começámos o cultivo de figo-da-índia, focámo-nos na comercialização da fruta fresca. Só que a fruta tem determinados critérios que tem de cumprir para seguir para os pontos de venda, como o tamanho, a cor, entre outros fatores”, explica Susana Neves, uma das fundadoras da Pepe Aromas“Como alguns produtos não cumpriam todos esses requisitos, apesar de estarem ótimos para consumo, ficávamos com um excedente e toneladas de fruta boa sem um propósito.”

Assim, em 2018, os dois irmãos dedicaram-se a encontrar alternativas menos óbvias. “Começámos por fazer uma parceria com a Paladin, da empresa Mendes Gonçalves, e criámos um vinagre de figo-da-índia. Depois criámos também uma geleia. E entretanto, devido às propriedades hidratantes e antioxidantes dos derivados do fruto, começámos a pensar em criar sabonetes”, conta Susana Neves.

As matérias-primas já tinham, dado que o azeite que a família também produz é uma parte vital dos sabonetes, mas a Susana e João faltava o conhecimento e a experiência para se lançarem neste nova área de negócio. E tal como já tinham feito anteriormente, voltaram a recorrer a parceiros estratégicos.

“Fizemos uma parceria com a Olivae, que já trabalhava há muito tempo com a produção de sabonetes artesanais, e eles deram-nos as ferramentas para criarmos os nossos sabonetes, com a marca Pepe Aromas. Estes são produzidos nas nossas instalações, dado que as da Olivae não estão preparadas para a produção biológica, e o mais engraçado é que, a partir desse momento, também eles começaram a dedicar-se aos produtos biológicos”, refere a fundadora.

E o resultado já está no mercado. Os sabonetes artesanais e biológicos da Pepe Aromas foram lançados há cerca de um mês e existem três variedades: sabonete de figo-da-índia com aroma a laranja, sabonete de palma de figo-da-índia com aroma a limão e o sabonete de figo-da-índia com aroma a alecrim com pepitas de cortiça, que acaba por funcionar como um esfoliante natural.

Os produtos têm um preço recomendado de venda ao público de 4€ e 4,50€ para o de alecrim com pepitas de cortiça, e estão disponíveis para venda através do site da Pepe Aromas (a loja online está para breve, mas pode utilizar os contactos diretos no site para encomendar) e em alguns pontos de venda em Lisboa. Pode encontrar os sabonetes no Biomercado, na Avenida Duque de Ávila, ou nas lojas Maria Granel, em Campo de Ourique e Alvalade.