removedores de borbulhas

Lifestyle

Tenha cuidado com os kits removedores de borbulhas e pontos negros

Começaram por ser um sucesso na Internet, agora até estão à venda nos supermercados. Mas serão uma boa opção? Uma dermatologista responde.

Como qualquer bom fenómeno que se preze, foi na Internet que tudo começou. “Viste o vídeo que te enviei? É uma espécie de pinça,, são removedores de borbulhas e pontos negros.” “Estou a ver agora. É incrível, tenho de comprar isto.” Primeiro ninguém sabia muito bem onde é que estavam à venda, depois começaram a aparecer em publicações patrocinadas no Instagram e no Facebook, de repente estavam à venda nos supermercados.

Estes removedores de borbulhas estão disponíveis em kits com vários tamanhos e formas ou num formato único que é vendido individualmente. Prometem acabar de vez com o drama das imperfeições, e geralmente funcionam da seguinte forma: pedem-lhe que utilize a ferramenta depois do banho ou após a colocação de um pano quente e molhado, para abrir os poros. Depois é desinfetar a “maquinaria”, usá-la nos sítios de onde quer remover as maléficas borbulhas e pontos negros e pronto, já está.

Sim, eles estão por todo o lado. Mas será que é mesmo uma boa ideia usar removedores de borbulhas e pontos negros? Luísa Caldas Lopes, consultora de dermatologia no Hospital da Luz de Lisboa, responde.

“O espremedor de comedões pode ser útil para remover pontos negros”, explica. Os pontos negros são os denominados comedões abertos, que ficam negros devido a um fenómeno de oxidação quando entram em contacto com o ar. “Não deverá ser usado em qualquer borbulha.”

Seja nos pontos brancos, pápulas (borbulhas vermelhas) e pústulas (borbulhas vermelhas de cabeça branca), a utilização destes removedores “não é útil”, e pode mesmo “agravar a inflamação e causar mais marcas/cicatrizes.”

Portanto, nada a fazer: quando o assunto são borbulhas, o melhor mesmo é não mexer.

“Regra geral as ‘borbulhas de acne não devem ser espremidas e a utilização de meios mecânicos como este deverá igualmente ser associada a medicamentos tópicos e/ou sistémicos para evitar a sua formação e facilitar a sua remoção, adaptados a cada caso.”