mudar o mundo

Lifestyle

O que estamos a fazer para mudar o mundo #2: Explorerssaurus

Mudar o mundo também é desafiar os nossos limites. É essa a missão do Miguel e da Raquel: inspirar os outros a acreditarem nos seus sonhos e a irem mais além.

Quando falamos em mudar o mundo, pensamos em algo que só as grandes personalidades têm a capacidade de fazer. Julgamos que são as grandes figuras ligadas à política internacional, à economia, à saúde, à moda, à sustentabilidade e a tantas outras áreas as responsáveis por trazer a mudança de que o nosso planeta tanto precisa, mas a realidade é que, lá no fundo, a mudança está nas mãos de cada um de nós. Basta querermos. 

A pensar nisso, todas as semanas a dobem. vai tentar perceber o que é que algumas pessoas, das mais às menos influentes, acham que estão a fazer e que pode ajudar a mudar o mundo. O objetivo é simples: mostrar como os gestos de cada um de nós, por mais insignificantes que possam parecer, podem fazer toda a diferença para conseguir tornar o nosso planeta num lugar onde todos queremos viver. 

E mudar o mundo não passa só por eliminar as palhinhas de plástico, substituir todos os alimentos de origem animal por opções vegetais ou passar a fazer todas as compras em lojas de segunda mão evitando as fast fashion. Por vezes, mudar o mundo é inspirar os outros a abrirem os seus horizontes e olharem para tudo o que os rodeia de uma forma diferente, mostrando-lhes que por vezes aquilo que acreditam ser impossível está ao seu alcance, basta quererem. E é essa mesmo a missão de Raquel Janeiro e Miguel Mimoso, os viajantes e autores da página Explorerssaurus, que contam com quase um milhão de seguidores no Instagram, e fundadores da marca sustentável Mirah Studio.

A história de Raquel e Miguel começa muito antes da página que criaram juntos, onde partilham as suas experiências em viagem. Conheceram-se em 2016 no Algarve, apesar de serem ambos morarem na zona norte do País, mas a sua relação só viria a começar algum tempo mais tarde até porque, tal como contam no seu novo livro, “As Aventuras, Dicas e Segredos dos Viajantes mais Famosos do Instagram”, editado pela Manuscrito, Raquel ignorou Miguel duas vezes até começarem, realmente, a falar.

Pouco tempo depois, Raquel foi estudar para Valência, em Espanha, ao abrigo do programa Erasmus. Estava a tirar um curso de Engenharia Biomédica e não quis perder a oportunidade — apesar de, no plano inicial, estar um intercâmbio em Washington D.C., nos Estados Unidos. Foi durante esse tempo em que mantiveram uma relação à distância que começaram a fazer viagens juntos todos os meses.

Raquel sempre adorou viajar e é especialista em partir para descobrir o mundo com um orçamento reduzido. Fazia couchsurfing para não ter de pagar hotéis, dormia em camaratas de hostels e poupava em tudo o que podia quando ia para o estrangeiro. Já Miguel era um apaixonado por fotografia, embora tivesse estudado na área da contabilidade. Aliando as suas paixões e as viagens que começaram a fazer juntos, criaram a página Explorerssaurus, onde ainda hoje contam as suas histórias e partilham as suas aventuras pelo mundo.

O que é que a Raquel Janeiro e o Miguel Mimoso estão a fazer para mudar o mundo?

Chegamos então à pergunta que nos trouxe até aqui. Afinal, o que é que os autores da página Explorerssaurus estão a fazer para mudar o mundo? 

“Acho que eu e o Miguel mostramos e inspiramos os milhares de pessoas que nos seguem todos os dias mostrando-lhes que é possível seguirmos os nossos sonhos e sermos felizes a fazer aquilo de que mais gostamos, e mais ainda sermos bem sucedidos nisso”, revela Raquel à dobem.

“Quebramos um bocadinho o padrão que a sociedade nos impõe de acabar o secundário, ir para a faculdade, tirar um bom curso, seja lá o que um bom curso for hoje em dia, entrar num quadro de uma empresa, ir subindo na carreira, de ter um trabalho tipicamente convencional das 9 às 17 horas, ou de casar e ter um filho antes dos 30 anos”, continua. “Nós, basicamente, mostramos que fugir à norma não é uma coisa má. Mostramos que realmente exige muito trabalho mas que, depois, é muito recompensador decidirmos onde é que queremos estar, termos liberdade financeira para comprarmos o que quisermos ou para investirmos em vários projetos e, no fundo, alcançar a liberdade que todos desejamos.”

“Acreditamos que a nossa mudança neste mundo é incentivar as pessoas a seguirem os seus sonhos e serem felizes, porque acreditamos realmente que é possível, e somos prova disso. E um mundo com pessoas mais felizes será, certamente, um mundo melhor.”