más posturas

I Am Isabel Silva

As más posturas são as responsáveis pelo meu desconforto, mas tenho alguns truques para as contrariar

Passei muito tempo sentada ao computador e a trabalhar durante a quarentena, e isso fez-me aprender quais as melhores formas de contrariar o incómodo que sentia ao final do dia.

Já estamos em época de voltar, aos poucos, às nossas rotinas. Já voltei a correr à beira rio— e que bem que me soube —, a colocar um dorsal para correr uma prova (virtual, mas não deixa de ter aquele mood de prova), e até a sair para estar com aqueles de que mais gosto. 

Mas os quase 50 dias que passei em casa durante a quarentena significaram outras rotinas, outros hábitos que fui ganhando. Quarentena significou passar mais tempo em casa. Onde dormimos, comemos, onde nos dedicamos às lides domésticas, onde nos deitamos no sofá a ver filmes e também onde trabalhamos. Foi aqui, em minha casa, que mais desenvolvi projetos nesta quarentena. Foi na mesa da minha sala que nasceu a “dobem.”, à distância. Foi aqui que passei horas e horas sentada em teletrabalho, e isso implicou ter outro tipo de cuidados com o corpo para manter o meu bem-estar. 

É normal sentir algum desconforto muscular nesta fase, ainda o sinto, porque a verdade é esta: desconfinámos, mas ainda agora estamos a entrar no “novo normal” a que todos temos de nos ajustar. Continuo a passar muitas horas ao computador, e nem sempre com as melhores posturas. Também continuo a sentar-me ou a deitar-me no sofá a ver séries, um hábito que ganhei durante este período, e que quero manter, porque também temos de fazer o que nos faz feliz. Continuo a dedicar-me a algumas lides domésticas, o que implica mais esforços a nível muscular e que adotemos posturas incorretas. Ao final do dia, ainda continuo a sentir algum desconforto a nível muscular. 

Ao longo deste tempo tenho sempre arranjado algumas estratégias, não só para corrigir as más posturas, mas também para aliviar este incómodo. E acreditem, é fácil esquecermo-nos de estar bem sentados quando estamos a trabalhar. Sabem aquela postura de ombros descaídos e costas curvadas frente ao computador? Todos fazemos isso, mesmo sem darmos conta, e traz consequências para a nossa coluna. Além disso, o facto de estarmos muito tempo sentados ao computador também afeta a nossa mobilidade. No meu caso, a da anca. 

Enquanto corredora e maratonista, a mobilidade da anca tem uma importância muito grande na minha vida. É graças a ela que consigo atingir os meus objetivos e dar tudo quando estou a correr. Se ela me falha, tudo falha. Por isso, para mim, é fundamental trabalhar a mobilidade da anca. Para isso, sigo determinados rituais que me foram aconselhados pelo meu treinador de corrida. Faço exercícios de alongamento e mobilidade da anca regularmente, quase todos os dias. Podem espreitar alguns desses exercícios aqui. Só assim consigo evitar o desconforto causado pelas más posturas.

Outra das coisas que tento sempre ter em atenção é a forma como estou sentada. Ter sempre as costas direitas, o rabo bem encostado às costas da cadeira e os ombros para trás é a postura que todos devemos adotar ao computador. Outra coisa que ajuda muito é, se usarem computadores portáteis, ter alguma coisa que eleve o computador para ele ficar ao nível dos vossos olhos. Assim, evitam ter de estar a olhar para baixo e, com isso, a causar esforço extra à cervical. 

Além disso, tento não estar muito tempo de pé, nem muito tempo sentada. De tempo a tempo, levanto-me, dou uma volta pela casa, vou encher a minha água, comer um snack à cozinha ou até dar uma espreitadela à varanda. Esta é uma forma de alongarem o vosso corpo e não o obrigarem a estar sempre na mesma posição. Acreditem, faz toda a diferença ao final do dia. 

Claro que nem sempre conseguimos combater o desconforto totalmente, e há dias em que sentimos algum incómodo. Nessas alturas, por vezes, coloco um emplastro VoltaTermic nos ombros/zona cervical ou no fundo das costas, que são dois dos sítios onde costumo sentir mais este desconforto muscular. Como VoltaTermic é um emplastro térmico, vai distribuindo calor de forma uniforme e ajuda os nossos músculos a relaxarem, dando-lhes mais mobilidade. 

Esta acaba também por ser uma solução muito prática. Basta tirarem o emplastro da embalagem e colocarem imediatamente na zona do corpo onde sentem o desconforto. Daí a 20 minutos já começam a sentir o quentinho, que atinge até 40ºC. Se forem como eu, sentam-se a ver televisão, vão preparar marmitas ou até retomam o trabalho, e o emplastro fica ali, a fazer o que lhe compete. Podem ficar com ele colocado até 8 horas, mas não mais do que isso. 

E é isto, malta. Agora que estamos a retomar a nossa vida, pensem em algumas destas coisas e comecem a fazer mudanças nas vossas vidas. Quando voltarem aos vossos escritórios, percebam se a vossa secretária está mesmo preparada para trabalharem confortavelmente. E não se esqueçam, treinem a mobilidade e não passem demasiado tempo sentados e nas mesmas posições.

Artigo escrito em colaboração com Voltatermic, marca GSK CH. #Pub