Lifestyle

6 coisas que tem em casa e que podem estar a causar stresse

A desarrumação, falta de luz ou a falta de separação entre o espaço de lazer e trabalho são dois dos principais responsáveis, mas há mais. Duas especialistas dão as soluções de que precisa.

DOBEM.
leia este artigo em: 7 mins

Um dia tem 24 horas mas, para alguns, nem sempre parecem ser suficientes. O trabalho, os filhos, os animais de estimação, a pandemia, as tarefas infindáveis que estão por cumprir, o jantar, o almoço, as compras, o exercício físico, e a lista poderia não se ficar por aqui. Estes são apenas alguns dos fatores que contribuem para o stresse diário, mas e se lhe disséssemos que alguns dos principais responsáveis por causar stresse podem estar na sua própria casa?

É certo que a pandemia obrigou-nos a ficar em casa e a readaptar a nossa vida à nova realidade. Passamos mais tempo entre quatro paredes e, por consequente, a nossa casa ganhou outro propósito e outra vida. Já não é só o local onde vivemos e dormirmos, mas sim onde trabalhamos, fazemos exercício físico e onde vivemos. E é também por isso que a nossa casa pode ser a principal responsável por causar stresse e fazer-nos sentir mais ansiosos.

Três terapeutas, Cecille Ahrens, Weena Cullins e Ariel Sank, selecionaram seis situações que devemos evitar ao máximo nas nossas casas, de forma a evitar o stresse. “Alguns itens e elementos podem criar stresse e fazer com que o nosso corpo fique tenso e se contraía”, revela a psicoterapeuta Cecille Ahrens, à revista “Insider”. Realça ainda o facto de que “o que pode ser stressante para uns, não será necessariamente o mesmo para outros.”

Conheça abaixo estas seis situações e saiba o que pode fazer para as evitar.  

Desarrumação

Segundo as terapeutas, a desorganização causa stresse. A loiça que fica por lavar ou a cama que adiamos fazer são fatores que contribuem para a nossa ansiedade. Acrescenta ainda que “apesar de nos esforçarmos para manter as coisas arrumadas e organizadas, se não tivermos espaço e arrumação própria para papéis, brinquedos e outros objetos, estes vão continuar desarrumados.”

Luz insuficiente

Não ter luz suficiente em algumas divisões faz com que se torne mais complicado concretizar algumas tarefas e objetivos. Um estudo publicado a 9 de novembro de 2005 pelo BMC Psiquiatria, revelou, inclusive, que a luz branca teve efeitos positivos nas depressões de pessoas com idades compreendidas entre os 59 e 80 anos de idade.

Porém, a profissional realça que a luz artificial e forte nem sempre permite ter uma boa noite de sono e momentos de relaxamento. A sugestão passa “por adicionar lâmpadas, candeeiros de parede, dimmers ou luzes de teto que possam redefinir o espaço que causa o stresse.”

Uma outra opção, sempre que possível, será abrir janelas para deixar circular ar fresco e usufruir da luz natural.

Viver em espaços mais pequenos e apertados

“Espaços mais apertados e desarrumados podem criar mais ansiedade e, por consequente, desencadear ataques de pânico”, refere Cecille Ahrens. Janelas, por exemplo, são um elemento importante para o nosso bem-estar.

No caso de trabalhar ou viver num local em que não existam janelas, é recomendado que todos os dias tire uns minutos do seu dia para passear ao ar livre ou para ter uma exposição direta com a luz do dia.

Trabalhar e descansar no mesmo local

Com a realidade do teletrabalho em tempos de pandemia, é de extrema importância definir diferentes locais em casa, sendo que um que seja dedicado ao tempo de lazer, e outro ao tempo de trabalho. Embora essa realidade nem sempre seja possível para todos, “separar a cadeira ou a mesa onde trabalha para a que utiliza para tempo de lazer, pode fazer uma grande diferença”, diz a terapeuta Ariel Sank.

Mobília desatualizada ou gasta

Se possível, o ideal é livrarmo-nos das mobílias e decorações que já não trazem um ambiente positivo e saudável. “Mobília ou decoração que esteja desatualizada ou que seja antiga pode nos entristecer. Quando estamos cercados por coisas que não achamos convidativas ou que invoquem alguma resposta de stresse, temos tendência para passar muitos menos tempo nesse espaço”, garantem as especialistas.

Barulhos que podem causar stresse, como a televisão ou conversas de fundo

O barulho é por vezes inevitável para quem vive acompanhado ou prefere deixar a televisão ligada por trás, nem que seja para trazer um sentimento de companhia. Há quem prefira ter barulho de fundo e vozes, mas o que a especialista recomenda é que cada um entenda a relação que tem com a televisão. Se o facto de estar a ouvir as notícias, por exemplo, o deixa ansioso e nervoso, a recomendação é de desligar e focar-se em sons que possam ajudar na concentração.

A desarrumação, falta de luz ou a falta de separação entre o espaço de lazer e trabalho são dois dos principais responsáveis, mas há mais. Duas especialistas explicamSe, por outro lado, gosta de ter sons barulhos de fundo e sentem que eles aumentam a sua capacidade de foco e concentração, há várias opções, e até aplicações específicas onde os pode encontrar.