restaurante

I Am Isabel Silva

Mais do que ter boa comida, um restaurante mede-se pela experiência que nos proporciona. E estes têm o selo de aprovação dobem.

São alguns dos meus restaurantes favoritos e onde volto sempre. Alguns, são família, por isso, merecem o selo de aprovação da dobem.

Queridos Leitores, estas duas últimas semanas têm sido um tanto ou pouco atípicas. Feriados, pontes… que categoria! Podia realmente ser uma maravilha, ir ao restaurante, aproveitar bem o dia, isto se não estivéssemos a viver esta pandemia. 

Acredito que só agora grande parte de nós esta a sentir os verdadeiros efeitos sociais deste vírus nas nossas vidas. O recolher obrigatório, as restrições a que somos submetidos, e que assim devem continuar a ser até as coisas acalmarem, a médio prazo trazem, sem dúvida, alguma tristeza, inércia e saudade. Muita saudade em estar e partilhar com os nossos familiares e amigos, a aproveitar os pequenos grandes prazeres da vida. 

Uma das coisas de que tenho mais saudades é, realmente, ter um bocadinho de vida social sem estar a pensar que às 22h30 os restaurantes fecham e que, ao fim de semana, só posso almoçar até às 13h00 — isto, no meu caso, porque vivo no concelho de Lisboa, que se mantém na lista dos concelhos com risco muito elevado e que, por isso, neste estado de emergência ainda mantém grande parte das restrições. Vejam aqui se o vosso faz ou não parte desta lista.

Imagino isto de forma regular e ainda mais recorrente. É realmente um grande desafio aos nossos desejos mais primários. 

Por outro lado, sinto falta da magia dos espaços onde como. Não coloco de parte o take-away mas, às vezes, ter uma refeição fora de casa é só um pretexto para arejar, lavar as vistas e ver gente em espaços com que nos identificamos. Uma experiência 360 conta muito. A qualidade da comida é fundamental, mas o serviço e o local onde comemos podem tornar a nossa refeição inesquecível.

Gosto de sentir a alma das coisas e, posto isto, quero tornar a realçar a saudade que tenho tenho em estar fora de casa sem ter que estar sempre a olhar para o relógio e a contar as horas e minutos que ainda me restam até ter que regressar a casa.

Sonhemos, porque, esperemos, esta vai tornar-se numa realidade muito em breve.

Serviu este texto para vos apresentar uma novidade na dobem.: o selo dobem.

Aqui está ele.

Sempre que virem este selo, significa que a nossa equipa, para além de recomendar um determinado espaço, projeto, ideia ou pessoa, partilha e sente-se inspirada pelos valores do mesmo. Sobretudo, recomendamos porque vivemos essa mesma experiência.

Por outro lado, quero que saibam sempre quem da equipa é que escolheu usar este selo de aprovação. Mas, com isto, não pretendemos ser os donos da razão. até porque todas as experiências e opiniões são validas. Nós apenas humanizamos acrescentamos o nosso cunho, justificando as nossas escolhas. 

Posto isto, e pegando no meu desabafo acima, deixo-vos aqui uma lista de restaurantes que, para mim, têm o selo de aprovação dobem. 

Mais do que locais onde a comida me sabe bem, são restaurantes ou cafetarias com os quais já tenho uma relação emocional, alguns deles são quase família. Porque ser dobem. não é só procurar equilíbrio no que comemos, mas equilíbrio para todas as nossas emoções.

Alecrim aos Molhos Bio

É a cafetaria e biomercearia do meu bairro. É na Rua Albino Machado, em Lisboa, que vive o Alecrim. Os frescos são de primeira qualidade, a comida privilegia as boas matérias primas e cada refeição é pensada para ter tudo o que precisamos para enfrentar o dia com energia. Quem ali come, sente-se em casa e é isso que torna o Alecrim único. 

É delicioso estar sentada a almoçar ou lanchar e ver as pessoas a chegarem e falarem para os donos como se fossem membros da família. Há uma ligação muito ternurenta dos clientes à Mariana e a toda a equipa. 

restaurantes com entregas

Experimentem almoçar. No que me toca, posso dizer-vos que sou louca pelas empadas de quinoa e vegetais, pela quiche, pelo pão de fermentação lenta feito pelo Carlos (que também prepara a sua própria massa mãe), pela sopa miso, pelos croquetes de tempeh, pelas pataniscas de grão, e pela Francesinha. Há mais para enumerar, mas convido-vos a sentirem este espaço por vocês mesmo.

Morada: R. António Albino Machado 19A
Telefone: 215 864 718

Ela Canela

O Ela é, para mim, a inspiradora Joana. A Joana é a alma deste lindo restaurante em Campo de Ourique. Podem perfeitamente ir sozinhos tomar um brunch, almoço ou jantar e ficarem a apreciar a Joana a orientar a equipa e a finalizar os pratos. É tanto amor no prato que é impossível não ficar para sempre nas vossas memórias. 

O Ela é todo envidraçado. Tem uma luz natural muito bonita e é excelente para tirar umas bonitas fotografias. Sou muito fã das papas de aveia, do crumble, dos crepes e das saladas de kimchy. Peçam também o bolo de cacau com romã e recheio de chocolate. 

Morada: R. Azedo Gneco 74B
Telefone: 913 004 139

Koppu

Aqui como o melhor ramen da minha vida. Sou fã deste caldo de massa com vegetais, sobretudo em dias invernosos como os que estamos agora a viver. A especialidade são os ramen, mas o que os torna tão únicos é quem comanda aquele espaço. A Susana Borges, apaixonada pelo Japão, que quis ter um espaço em Lisboa que enaltecesse um prato típico desses país. Focou-se no ramen e na qualidade do seu staff. 

O que mais me agrada é saber que, se eu quiser, posso personalizar a minha sopa de acordo com as minhas necessidades. Há para todos os gostos — desde os clássicos aos vegetarianos. Sempre que lá vou peço um vegetariano, picante, com massa de arroz e molho sem glúten. Peço as maravilhas gyosas como entrada e se tiver o gelado de feijão azuki para sobremesa, entro em delírio, mas nem sempre têm.

Há dois em Lisboa. Façam reserva porque o espaço é pequenino.

Morada: Rua do Salitre 131A
Telefone: 213 540 506

Jardim dos Sentidos

Adoro chegar e ser recebida com um sorriso do tamanho do mundo. Eles já me conhecem. Ligo sempre a reservar, sobretudo quando vou jantar. O espaço é um sonho. Parece que estamos num Jardim Encantado. Ja festejei o meu aniversário e o do Caju também. São Pet Friendly e muito “easygoing”.

Gosto da ementa da noite mas encanta-me mais o bufett do almoço. É seguramente o melhor que ja comi até hoje –  desde os frios aos quentes a oferta é muita e a qualidade não fica atrás. 

Morada: R. da Mãe de Água 3
Telefone: 213 423 670

Kitchen Dates

A Maria e o Rui são duas pessoas inspiradoras para mim. Começaram a servir brunches vegan quando ainda estavam a morar em Amesterdão, na Holanda. Depois, trouxeram a ideia para Portugal quando regressaram. Em 2019, a casa deles se tornou demasiado pequena para a quantidade de gente que queria experimentar a comida vegan maravilhosa que eles preparam, por isso, abriram um restaurante.

Chama-se Kitchen Dates, como não podiam deixar de ser, e fica em Telheiras. E apesar de se chamar restaurante, quando entrarem vocês vão sentir que estão a chegar a casa deles, tal como acontecia com os brunches vegan que serviam antes. Com a pandemia, a Maria e o Rui estão a fazer entregas e a apostar no take-away, embora também estejam abertos alguns dias da semana. Mas o melhor mesmo é verem o horário no site

Morada: Rua do Seminário 7A
Telefone: 215 804 677

PSI

Outro restaurante que parece um céu quando lá chegamos. Gosto sobretudo de ir ao PSI jantar nos dias de mais adrenalina. Sempre que lá chego, o Alfredo olha para mim com um sorriso rasgado e agradece a minha presença. É um senhor com uma alma muito bonita que realmente se preocupa com todos os clientes. 

Há uma paz muito especial que se vive la dentro, e a comida ajuda. Tento variar nas minhas escolhas, mas acabo sempre por pedir o Tofu Koreano com molho de manga e amendoim ou então o caril. 

Morada: Alameda St. António Capuchos
Telefone: 213 590 573

Natural Crave

É aquele restaurante que nunca desilude e tem o mais eficiente serviço. É uma cadeia saudável de fast food que está localizada nos shoppings tanto no norte como em Lisboa. Pessoalmente, vou muito ao Natural Crave do Saldanha ou das Amoreiras. 

Há bowls já definidas mas, sempre que lá chego, todos dizem: “é a bowl da Bélinha, certo?”

Gosto da ideia de personalizar a minha bowl. Como peço sempre o mesmo, eles já decoraram. Eu gosto da comida, mas agrada-me muito saber que quem me recebe é gente simpática e carinhosa. O capital humano é tudo.

Manna

Gosto de tudo no Manna, e só não vou lá mais vezes porque vivo em Lisboa. O Manna é do Hélder e da Sara e, aqui, come-se e bebe-se para nutrir o corpo. Se quisermos, também podemos meditar ou fazer ioga neste restaurante, e até ler livros sobre fermentação, pão, café e natureza. Podemos ir sozinhos, mas nunca estamos sós. 

A matéria prima é de qualidade, sazonal e que apoia o comercio local. Quando provarem vão sentir que estão em casa. Provem o pão de fermentação lenta e as smoothie bowls. Tudo é especial, mas quando aqui chego repito sempre estas duas opções. 

Morada: Rua da Conceição 60
Telefone: 916 285 608

Há mais locais para falar mas, ao invés de estar a partilhar tudo de uma vez sé, vou fazendo aos pouquinhos, para não se baralharem e ficarem indecisos. A ideia é irem experimentando restaurante a restaurante e darem-me o vosso feedback. 

E agora, a minha pergunta é: estes sítios merecem ou não o selo dobem?

Partilhem nas vossas redes e identifiquem a @dobem.pt e @iamisabelsilva. Usem a #selodobem e prometo que respondo a todos!