CALM-A

I Am Isabel Silva

CALM-A. Fui conhecer o armazém de excedentes que deu vida à minha coleção com a Vintage for a Cause

Este é o primeiro episódio desta mini série onde quero partilhar convosco tudo o que esteve por detrás da criação desta coleção que foi tão especial para mim e para a minha equipa.

A equipa da do | bem é o rosto da coleção cápsula CALM-A da Vintage for a Cause. E ser um rosto de um protejo tão nobre foi, para mim e para a minha equipa, muito mais do que simplesmente vestir as peças e fotografá-las.

O nosso propósito está em mostrar que a sustentabilidade de um negócio com este valor assenta em modelos colaborativos entre várias profissões, que mais importante do que pensar na coleção que desejamos, é pensar nas condições que temos para o fazer e que o chamado “deadstock” — os tais “monos” que já não servem para nada — são muitas das vezes o segredo de coleções surpreendentes e atuais.

Em primeiro lugar, convido-vos a espreitarem a coleção e leresm o que nos levou a aceitar este convite — espreitem o nosso artigo aqui.

Em segundo lugar, quero esmiuçar, desmistificar, pormenorizar e partilhar convosco como se fazem roupas a partir de excedentes têxteis. Mas, afinal, será que estes “monos” fazem jus ao nome que têm? Têm assim tanta qualidade? Onde posso encontrar estes restos de tecidos para lhes dar uma segunda vida?

Neste dia, estive com a Helena Antónia, fundadora da Vintage For a Cause, para perceber, de uma forma clara e real, todo o processo de criação da coleção CALM-A, desde o armazém de excedentes têxteis, na zona industrial de Laúndos, até à peça final, pronta a ser enviada para o consumidor final. 

São dois episódios que quero partilhar convosco. Este é o primeiro. Vejam e escutem.

Por uma causa do | bem.

EDIÇÃO

Cachupa Creative Studio