simply

Exercício

Simply, a marca que usou roupas velhas e plástico para criar uma linha de sportswaer

Foi criada em 2020 e lançou uma campanha de crowdfunding. O primeiro objetivo é chegar aos 11 mil euros. Se ultrapassarem, expandem as cores da linha.

Roupas velhas e garrafas de plástico. Quem diria que pudesse ser esta a receita para a criação de leggings, T-shirts ou soutiens desportivos? Tanto é, que é a fórmula utilizada pela Simply, uma nova marca de sportswear, atualmente a recolher fundos através de uma campanha de crowdfunding.

Criada em 2020, assume uma dupla missão: promover a prática de exercício físico e ajudar o planeta. Assim, descreve-se como uma marca de sportswear 100% sustentável que, além de reciclar roupas velhas, transforma plástico em têxtil pela convicção de que temos de mudar a forma como olhamos — e utilizamos — este material, que tanto afeta a saúde dos ecossistemas, como a vida marinha ou até mesmo humana.

Mas apesar das preocupações ambientais, a Simply garante que a linha de roupa desportiva não descura nas fundamentais especificidades técnicas da roupa de desporto. É por isso que, apesar de resultarem do processo de reciclagem, os tecidos são descritos como sendo de alta qualidade, produzidos com “material de ponta”.

Uma questão importante: como é que o plástico ganha a forma de roupa? “Trata-se de um processo mecânico onde o plástico é triturado, aquecido e moldado em diversos fios de tecido, sem a utilização de nenhum produto químico ou poluente”, lê-se na descrição. “O tecido é posteriormente utilizado para confeccionar as roupas desportivas da Simply, com tecidos certificados.”

Focada em performance, versatilidade, todos os modelos da Simply foram pensados para vários contextos — desde caminhadas, a treinos de ginásio ou outdoor. Desde os leggings, aos soutiens ou T-shirts, as peças, com certificação Internacional Global Recycled Standard, têm um design minimalista, são opacas, moldam-se ao corpo, são confortáveis e maleáveis.

O projeto está agora em crowdfunding, com o objetivo de atingir os 11 mil euros, valor que permitirá à marca criar meios de produção dos modelos em preto. Se ultrapassarem, expandem. Ou seja, se atingirem os 22 mil euros, produzem T-shirts e calções em verde e o soutien e leggings em roxo. Depois de atingirem os 33 mil euros, produzem a linha de homem em cinzento e a de mulher em verde.

Os itens já estão em pré-venda com valores entre os 20€ e os 30€. Há ainda packs a 50€.