treinos gratuitos

Exercício

Quer treinar em casa? Estas quatro plataformas têm treinos gratuitos — e eficazes

Nem toda a gente se sente confiante para voltar aos ginásios, mas isso não quer dizer que tenha de deixar de fazer exercício físico. Conheça estas plataformas com propostas de treinos que pode fazer no conforto de sua casa.

Se houve coisa que o confinamento durante a pandemia da COVID-19 nos ensinou é que não há desculpas para não treinar, mesmo quando estamos fechados em casa. É que apesar de os ginásios e estúdios de treinos terem fechado, grande parte das pessoas continuou a treinar em casa, com a ajuda de algumas plataformas digitais que foram ganhando cada vez mais destaque durante aqueles meses graças aos treinos gratuitos que foram partilhando.

E se é verdade que existem cada vez mais plataformas de treino digitais, também é certo que as empresas tiveram de se reinventar e conseguir fazer algum lucro neste momento de maior fragilidade. É por isso que tantas das novas plataformas de treino são pagas. Mas isso não quer dizer que não existam opções de treinos gratuitos para fazer em casa.

É o caso dos canais de YouTube de algumas influenciadoras do universo Fit, que foram ganhando cada vez mais seguidores durante os meses de confinamento. Chloe Ting é uma delas, que viu um dos seus vídeos tornar-se viral durante a quarentena. Falamos do treino onde a australiana promete que, em duas semanas, vai conseguir ter uns abdominais de sonho. E se o vídeo já era conhecido, durante os meses de isolamento tornou-se ainda mais popular, contando já com mais de 275 milhões de visualizações.

Regressando da Austrália para Portugal, houve também que tivesse aproveitado a quarentena para criar projetos que permitissem a todos fazer os seus treinos na segurança das suas casas, sem terem de se deslocar a um estúdio ou ginásio. Foi o caso de Raquel Antunes, personal trainer e criadora da Boost Plan, uma aplicação de treinos que, apesar de ter uma subscrição, tem vários desafios gratuitos que pode incluir nos seus treinos caseiros.

Se é daquelas pessoas que ainda está com receio de voltar ao ginásio ou se está simplesmente a querer manter-se na segurança de sua casa até ao final da pandemia, temos quatro plataformas para com treinos gratuitos que pode fazer em casa. Acredite, alguns deles são mais difíceis do que parecem, e é por isso que são tão eficazes.

Chloe Ting

O seu vídeo com um treino de abdominais de dez minutos tem mais de 275 milhões — sim, milhões — de visualizações no YouTube, e cada vez que a australiana partilha um vídeo, é quase certo que vai, rapidamente, tornar-se viral.

Nos vídeos, Chloe Ting faz os seus treinos parecerem a coisa mais fácil do mundo, até porque está sempre com um ar muito sereno enquanto faz cada um dos circuitos, e a música, assim como a forma como grava os vídeos, também ajudam. Mas experimente fazer um destes treinos e, depois, conte-nos como foi. É que apesar de parecer simples, estes treinos são bastante intensos, afinal, não conseguimos ter abdominais em dez minutos se não fizermos algum esforço, certo?

Além dos treinos de abdominais, a influenciadora australiana partilha também treinos de alta intensidade para queimar calorias rapidamente, treinos de glúteos, de braços, e para várias outras zonas do corpo. Cada vídeo que partilha está inserido num plano de treinos que partilha gratuitamente no seu site e que, geralmente, prometem resultados em apenas um mês ou duas semanas.

Pode seguir Chloe Ting através do canal de YouTube ou consultar os treinos gratuitos através do seu site oficial, onde também vende alguns acessórios que podem ajudar a fazer os circuitos.

MadFit

Se falarmos em Maddie Lymburger talvez não reconheça o nome, mas se é daquelas pessoas que durante a quarentena andou à procura de opções de treinos para fazer em casa, talvez o nome MadFit lhe seja familiar. A canadiana de 24 anos tem mais de cinco milhões de seguidores no seu canal de YouTube onde partilha vários treinos adaptados a diferentes zonas do corpo. A grande diferença é que muitos destes vídeos são acompanhados por músicas pop bem conhecidas, que parecem tornar tudo muito mais simples. Afinal, quem é que não tem vontade de se mexer ao ouvir “Can’t Stop The Feeling” de Justin Timberlake?

Além dos circuitos com músicas, Maddie partilha ainda alguns vídeos com treinos específicos, como uma série de exercícios para os braços, treinos de alta intensidade para queimar calorias ou para os abdominais. Contudo, não faltam alguns treinos fundamentais que toda a gente — mesmo toda a gente — deve incluir nos seus circuitos: séries de alongamentos e de mobilidade.

Além da sua conta dedicada ao fitness, Maddie já escreveu e publicou alguns ebooks de alimentação saudável que estão disponíveis através do seu site. Se não quiser comprar os ebooks, pode sempre ver algumas receitas no blogue ou seguir a conta de Instagram onde também partilha algumas das suas sugestões.

Pamela Reif

Mais de cinco milhões de seguidores no YouTube, quase sete milhões de seguidores no Instagram e dezenas de vídeos de treinos no seu canal. Foi assim que Pamela Reif, que também é modelo, se tornou numa sensação durante a quarentena, quando treinar num ginásio não era uma opção.

A primeira vez que partilhou um vídeo no seu canal foi em 2016, quando a pandemia da COVID-19 ainda estava longe de começar. Quatro anos depois, com 24 anos, é uma das influenciadoras mais conhecidas no mundo do fit e da alimentação saudável, já que tem também uma conta de Instagram onde partilha algumas receitas e que conta com mais de 860 mil seguidores.

No seu canal de YouTube, e à semelhança do que acontece com Chloe Ting, a modelo alemã tem vídeos com diferentes tipos de treinos, desde os mais específicos, como é o caso do treino de glúteos que conta com 38 milhões de visualizações, até treinos full body. Mas também há opções natalícias, como é o caso do último circuito de exercícios que partilhou ao som de músicas natalícias, e onde deve passar dez minutos a dançar sem parar. Mas é mesmo sem parar, porque só assim vai conseguir suar e, consequentemente, queimar calorias.

Boost Plan

Raquel Henriques é personal trainer e tem o seu próprio estúdio na Margem Sul, um sonho que já tinha há vários anos, mas havia outra ideia em que andava a trabalhar há vários meses: criar uma aplicação de treino. Como contou à dobem. na altura do lançamento da Boost Plan, a quarentena acabou por ser a oportunidade de que precisava para acabar de desenvolver o projeto que andava a preparar há algum tempo.

“Foi um mal que veio por bem, porque se não tivesse sido agora esta quebra, ia demorar o dobro do tempo a lançar a aplicação”, recorda. “Dediquei-me de corpo e alma a este projeto. No dia em que fechamos o estúdio, passei o dia a gravar conteúdos para a aplicação.”

Dois dias depois do lançamento, Raquel começou imediatamente a preparar a segunda versão, com treinos mais específicos e com apoio personalizado. A segunda versão da Boost Plan acabou por ser lançada em setembro, quatro meses depois do lançamento oficial.

Apesar da aplicação ser, maioritariamente, paga, existem vários desafios gratuitos que pode fazer antes de subscrever ao plano da Boost Plan. A aplicação está disponível para download gratuito na App Store, para iPhones, e na Google Play Store para dispositivos Android.