asma

Exercício

Os melhores exercícios para quem sofre de asma

Desportos de baixa intensidade, em ambientes húmidos e com ar quente são os mais recomendados pelos especialistas para quem sofre com a doença.

A asma era uma das desculpas que quase toda a gente usava para se escapar de fazer os testes de resistência nas aulas de Educação Física. É também a desculpa que muitos adultos ainda utilizam para justificar o facto de não treinarem com regularidade. E a verdade é que quem tem asma até pode ter alguma dificuldade em praticar certos desportos, mas isso não quer dizer que não possa fazer exercício físico, de todo.

Mais ainda, um estudo publicado em abril de 2020 pelo European Respiratory Journal concluiu que a prática de exercícios aeróbicos, ou seja, que utilizam oxigénio para gerar energia para os músculos, podem ajudar a controlar a asma e a melhorar o funcionamento dos pulmões. Quer isto dizer que, na realidade, não há desculpas para não treinar. Só precisa de saber, exatamente, que exercícios deve fazer caso tenha asma.

Existem algumas recomendações dos especialistas, tal como garantiu o médico e professor da Universidade A&M do Texas, nos Estados Unidos, Jason R. McKnight à “Insider”. Evitar exercícios ao ar livre, especialmente nos meses mais frios, e apostar em em desportos de baixa intensidade e com pouco impacto são os dois principais conselhos. 

Correr longas distâncias, andar de bicicleta, praticar hóquei ou patinagem no gelo são, sem dúvida, desportos a evitar. Todos os exercícios que sejam de alta intensidade e envolvam passar mais do que cinco a oito minutos num ambiente com ar frio ou seco também fazem parte desta lista. 

Estas recomendações, apesar de parecerem limitadoras, não significam que tenha de parar de fazer exercício, mas sim que os treinos se devem adaptar à condição e limitações físicas de cada um. Se sofre com asma, estes são alguns desportos em que deve apostar. 

Desportos de baixo impacto e com pequenas explosões de energia

Um estudo publicado em 2015 pelo The Journal of Allergy and Clinical Immunology concluiu mesmo que os atletas que correm longas distâncias têm mais ataques de asma quando comparado com atletas que faziam apenas sprints de curtas distâncias. É por isso que o indicado será sempre fazer desportos que não impliquem um esforço prolongado, com apenas entre cinco a oito minutos de esforço. 

Alguns exemplos disso são a ginástica, o golfe, o ténis, as artes marciais, o levantamento de peso, esgrima ou atletismo, especialmente corridas de curtas distâncias e com obstáculos. 

Natação

A natação é dos melhores desportos para quem tem asma, já que o ar que se respira tende a ser mais húmido, o que reduz a broncoconstrição, ou seja, a contração das vias respiratórias, que impede a respiração e desencadeia os ataques de asma. 

A asma e o cloro pode ser irritantes para as vias aéreas, e a natação de alta competição, por implicar um esforço acrescido a nível cardiorespiratório, pode ter o efeito contrário, mas no geral os especialistas recomendam este desporto. No entanto, deve ser apenas uma prática recreativa e não deve exceder os 60 minutos de treino por sessão. 

Andar

Andar tem inúmeros benefícios para a saúde, tanto para as vias cardiorespiratórias como para a saúde mental, e há até especialistas que consideram a caminhada como uma terapia. Para os asmáticos, é a opção ideal para percorrerem algumas distâncias e se manterem ativos, já que ao andar devagar não vai ser necessário sobrecarregar as vias respiratórias. 

Contudo, há que evitar fazê-lo nos meses mais frios. Tal como explica Joi Lucas, diretora do departamento de Pneumologia do hospital Lakeland Regional na Flórida, Estados Unidos, à “Insider”. O ar frio pode dificultar a passagem de oxigénio para os pulmões e limitar o fluxo sanguíneo, causando falta de ar e dificuldades respiratórias. Se o quiser fazer, a especialista aconselha a que leve uma bomba de asma.

Ioga

O ioga é um dos desportos mais seguros e benéficos para quem sofre de asma, já que um dos seus principais pilares é o controlo da respiração. Durante o treino, os praticantes deste desporto são incentivados a controlar a sua respiração, a fazer inalações breves e lentas, acompanhadas por movimentos de baixo impacto, o que ajuda a melhorar o funcionamento dos pulmões.

Se quiser ver ainda mais benefícios, pode experimentar o hot yoga, uma prática que envolve treinar em espaços fechados, com ar mais quente e húmido, que vai potencial ainda mais a respiração e o trabalho dos pulmões.