suplementos pré-treino

Exercício

Dry Scooping. A tendência de tomar suplementos pré-treino que se tornou viral — mas pode ser perigosa

Falta de ar, problemas renais, ou alterações cardiovasculares. Estes são apenas alguns dos riscos desta prática que se está a tornar viral nas redes sociais. Duas nutricionistas e um PT apontam os riscos.

DOBEM.
leia este artigo em: 6 mins

Praticar exercício físico exige concentração, foco e vontade. Antes de tudo, vestir o equipamento, preparar a garrafa de água, o material necessário e, para alguns, tomar a suplementação necessária da forma indicada que, geralmente, envolve misturar o pó com água. Contudo, há uma nova tendência que se está a tornar viral e que pode ter consequências para a saúde: conheça o Dry Scooping.

A toma de suplementos, sejam eles de que tipo forem, deve ser feita de acordo com o que está estabelecido na embalagem, parece óbvio certo? Mas nem todos o fazem, tal como comprova esta tendência que se está a tornar viral no Tik Tok e onde as pessoas ingerem diretamente o pó, sem fazer qualquer tipo de mistura ou dissolução.

Por muito que até possa parecer uma boa ideia e que se possa achar que, ao ingerir o pó do suplemento pré-treino desta forma, o efeito possa ser mais rápido e eficaz, a realidade é que os perigos para a saúde são maiores do que os benefícios.

Contudo, antes de mais nada, é preciso certificar-se de que precisa, realmente, de adicionar estes suplementos à sua rotina. Se for o caso, deve tomar este tipo de pré-treinos de forma adequada, e, com isso, entenda-se cumprir com as regras indicadas nas embalagens.

Segundo os especialistas, o Dry Scooping não acelera o processo de absorção dos componentes presentes nem vai ser benéfico para o treino ou para a saúde. Pelo contrário, pode até ser perigoso. “Nem toda a gente reage da mesma forma quando este tipo de produtos são misturados com líquidos, imagine tomá-los sem nenhuma mistura, onde o suplemento está altamente concentrado” explica a nutricionista Yasi Ansari, citada pela revista “SELF”.

De facto, tal como explica a nutricionista Iara Rodrigues à dobem., “pôr o pó na boca e, depois, beber água, ou nem isso, pode fazer com que a dissolução que é preciso ser feita não exista”, começa por dizer. “Portanto há uma maior concentração até mesmo a nível da circulação. Ao não cumprir com as regras [estipuladas pelo fabricante], os suplementos não vão ter a mesma forma de atuação do que aquilo que é o seu efeito suposto, porque não vai ter a mesma concentração de água e não vai ser diluído. Isso faz com que haja alterações no organismo, nomeadamente sobrecargas renais, hepáticas e cardíacas.”

Ao colocar um pó diretamente na boca pode também afetar os seus pulmões e a sua capacidade respiratória, como já se viu num dos partilhados vídeos na rede social. “Um líquido é mais fácil de distribuir, um pó não. Não convém, de todo, que o suplemento seja consumido sem água porque pode comprometer a função renal e dos órgãos”, acrescenta a nutricionista.

Como explica Luíz Santana, CEO da cadeia E-FIT Portugal, “é completamente absurdo eu administrar um suplemento fora das regras para que ele foi feito. Os pós são para ser dissolvidos, normalmente em água ou em leite, até porque, se não for assim, podem haver tragédias.”

Mas a lista não se fica por aqui. Ainda há outro fator: grande parte dos suplementos tem uma mistura de substâncias, por vezes até desconhecidas. Consumi-los em Dry Scooping pode, precisamente, ter influência nesse ponto. Tal como alerta Débora Pita, nutricionista, “o que pode acontecer é que, em vez de deitarem uma colher para a boca, deitam mais. O problema está na quantidade e na mistura dos pré-treinos.

Uma pessoa que não pratique desporto regularmente, que seja mais nova e não esteja habituada ao efeito da cafeína, ou que tenha um problema cardíaco, pode experienciar efeitos secundários ao ingerir estes suplementos, até porque não sabe a quantidade que cada dose contém “cada marca tem a sua formulação e acontece que, cada uma, pode levar vários estimulantes como a cafeína, guaraná, taurina, e, por isso acaba por ser um mix muito grande”, acrescenta Débora Pita.

A solução, aconselha a nutricionista, é encontrar estes nutriente através de recursos naturais, como a alimentação. Por exemplo, se o suplemento levar cafeína, a especialista segure o consumo de cafeína de forma isolada, evitando a exposição do corpo a uma mistura de nutrientes desconhecidos.

Para quem é recomendado a toma de suplementos, existem diversas formas de o fazer, seja através da mistura com água, leite, iogurte ou até misturar em panquecas e smoothies, sendo que devem sempre respeitar as medidas descritas na embalagem. “O que eu recomendo, obviamente, é que cada suplemento, seja ele comprimido ou dissolúvel, seja consumido conforme as indicações do fabricante”, acrescenta Luíz Santana.