dores musculares depois do treino

Exercício

Não sentir dores musculares depois do treino quer dizer que não vai conseguir resultados? Talvez não

As dores musculares tardias estão associadas a um bom treino e ao aumento da massa muscular, mas nem sempre tem de ser assim. Uma PT explica porquê.

“No pain, no gain” é aquela expressão que vemos estampada nas roupas de fitness, nas paredes do ginásio e até nos copos para fazer o shaker proteico pós treino. Traduzida, esta expressão significa que se não sentir dores musculares depois do treino, é sinal de que não vai ganhar mais massa muscular. Mas será que isto é mesmo assim tão linear? Nem por isso, tal como explica à dobem. a personal trainer e criadora da Boost Plan, uma aplicação de treino, Raquel Antunes.

“As dores musculares tardias não acontecem sempre”, garante Raquel Antunes. “Essa dor não significa que o treino está a funcionar ou que vamos ter resultados, e também não quer dizer que foi um bom treino. Há pessoas que nunca chegam a ter dores musculares.”

Isto acontece, explica, porque numa fase mais avançada, para alguém que treine há algum tempo, é natural que o corpo já se tenha adaptado aos estímulos que um treino intenso traz. Ou seja, se costuma fazer um circuito que nunca muda durante três meses, o mais provável é que ao fim de algum tempo sinta que os exercícios não são estimulantes e que não está a conseguir ver resultados. “O nosso corpo é muito inteligente, ele adapta-se muito rapidamente ao esforço para não sofrer das próximas vezes, por isso, temos de saber trocar-lhe as voltas e dar-lhe novos estímulos”, diz a PT.

Nestes casos, o ideal, garante Raquel Antunes, é que o treino vá sendo adaptado aos objetivos de cada pessoa. Se pretende aumentar a massa muscular mas ao fim de três meses continua a fazer os mesmos exercícios, então talvez esteja na hora de fazer algumas alterações ao treino, que podem ser tão simples como “um aumento de carga, de cadência na realização do exercício ou até um aumento do número de repetições”, esclarece. Nestes casos, é provável que tenha algumas dores musculares nos dias seguintes, até porque os estímulos mudaram e o corpo, naturalmente, reagem e defende-se contra eles.

No entanto, explica, este aumento deve ser progressivo e nunca repentino. Quer isto dizer que se for daquelas pessoas que começa a treinar depois de meses — ou anos — sem fazer qualquer tipo de exercício físico, é normal que ao início sinta algumas dores no corpo depois de fazer circuitos mais intensos. Mas Raquel Antunes aconselha os iniciantes a não começarem com treinos muito intensos porque, nesse caso, as dores vão mesmo surgir, e não serão assim tão leves quanto isso.

“Numa fase inicial é fundamental que os treinos sejam adequados às condições físicas de cada um”, explica. “Um iniciante não pode, simplesmente, começar a treinar como vê na Internet. O corpo não está habituado a esse estímulo, por isso devem começar cá muita calma.”

A alimentação e o descanso podem ser a chave para evitar dores musculares

Os estímulos musculares são, sem dúvida, uma das principais razões pelas quais sentimos dores musculares. Mas não são as únicas responsáveis por isso, garante a personal trainer, que avança que até mesmo a alimentação pode ter alguma influência. 

“Quem tem uma alimentação muito limpa, regrada e anti-inflamatória vai reagir de forma diferente ao treino e à recuperação”, diz Raquel Antunes. “Beber muita água ao longo do dia também é muito importante para hidratar os tecidos.”

Além disso, há um outro fator que pode fazer toda a diferença: o sono. Sabemos à partida que é durante o sono que o corpo se regenera e, por isso, dormir bem e descansar as horas necessárias vai fazer o organismo recuperar o que, naturalmente, vai ter implicações na forma como os músculos se regeneram e recuperam do esforço do treino.