Exercício

Bastam apenas dez minutos de passadeira para mudar mais de nove mil moléculas do seu corpo

É esta a conclusão de um novo estudo que analisou o nível molecular do corpo de cada uma das pessoas que investigou. O objetivo é poder vir a criar um teste de fitness através de análises ao sangue.

Basta apenas uma corrida de dez minutos na passadeira para que um total de 9.815 moléculas do seu corpo se alterem. Pelo menos, é esta a conclusão de um novo estudo que procurou analisar de que forma é que o corpo humano responde a pequenos momentos de exercício físico.

Ainda que já existam vários estudos que procurem analisar o efeito que uma corrida pode ter em pequenos grupos de moléculas, a verdade é que este é o primeiro a assumir um objetivo mais ambicioso.

Publicado pela revista científica “Cell“, esta nova investigação procurou concluir de que forma é que cada uma das moléculas do corpo responde quando sujeita à intensidade de uma simples corrida de dez minutos na passadeira.

E embora os investigadores não tenham sido capazes de compreender o verdadeiro impacto da mudança, concluíram que essa alteração está diretamente relacionada com as diferentes funções do corpo.

Algumas das mudanças moleculares, por exemplo, têm que ver com a função metabólica do organismo ou com a digestão. Outras, no entanto, estão relacionadas com as reações do corpo a inflamações ou aos níveis de resistência à insulina.

“Inicialmente pensei que se tratava apenas de nove minutos de exercício. Como é que isso poderia mudar alguma coisa? Ao que parece, pode mudar muito”, explicou Michael Snyder, responsável pelo departamento de Genética na Universidade de Stanford, nos EUA, e um dos responsáveis pela investigação, ao jornal americano “The New York Times”.

Os resultados que prometem um teste de fitness com análises ao sangue

Para a investigação, Michael Snyder e restantes investigadores, analisaram as moléculas de um grupo de 100 indivíduos adultos. Cada uma dessas pessoas, que variavam em termos de estrutura corporal e cujos hábitos de exercício eram diferentes, foram sujeitas a análises sanguíneas antes e depois de correrem durante dez minutos numa passadeira.

Os resultados não deixaram margem para dúvidas: a maioria das 17,662 moléculas que foram analisadas, aumentaram ou reduziram imediatamente após os dez minutos de exercício físico — uma alteração que tem que ver com a resistência física de cada pessoa envolvida na investigação.

A amostra recolhida durante a investigação vai permitir, esperam os especialistas envolvidos, fazer avançar a ciência e poder avaliar o grau de resistência física de cada pessoa através de uma simples análise ao sangue.