restaurantes

Alimentação

Como 10 restaurantes saudáveis estão a preparar a reabertura

Há várias medidas que os restaurantes devem cumprir de forma a conseguirem manter a segurança e, por isso, alguns optaram por aguardar.

Mesas com dois metros de distância entre elas, desinfeções seis vezes ao dia, mesas sem decoração e loiça lavada a temperaturas entre os 80 e os 90.º. Estas são algumas das medidas impostas pelo Governo e pela Direção-Geral de Saúde para a abertura dos restaurantes a partir de segunda-feira, 18 de maio, depois de mais de dois meses encerrados desde o início do Estado de Emergência em Portugal.

Foram vários os restaurantes que optaram por ter serviços de entregas e take away, muitos deles aliando-se a plataformas de entrega como a Uber Eats ou a Glovo, que garantem o distanciamento com os clientes e onde o pagamento é feito diretamente através das aplicações. Já nos take-away, as encomendas foram incentivadas e os pagamentos, idealmente, feitos sempre utilizando a tecnologia contactless, para evitar tocar nos botões dos terminais multibanco.

Com o desconfinamento, e o regresso aquele que é já chamado de “novo normal”, o Governo anunciou a 30 de abril que os restaurantes poderiam voltar a abrir a partir de dia 18 de maio, desde que cumprissem com uma série de normas de segurança e higiene, de maneira a impedir a propagação do vírus da COVID-19 e, assim, conter a pandemia. Mas como é que os restaurantes vão, efetivamente, funcionar? E será que vão mesmo abrir a 18 de maio?

Alguns optaram por esperar pelo início de junho para voltarem a abrir as portas, como é o caso do Ela Canela, que prefere garantir que tem reunidas todas as medidas de segurança antes de começar novamente a receber clientes. Contudo, ainda é possível fazer encomendas através do site. Já outros, com os Kitchen Dates, em Telheiras, decidiram manter as portas fechadas durante mais algum tempo, sem terem data prevista para abrir. Até lá, Rui Catalão e Maria Antunes, responsáveis pelo restaurante sem desperdício, vão continuar com os serviços de take-away e delivery, tanto de refeições como de produtos da sua despensa.

Mas há quem esteja otimista e, por isso, tenha decidido implementar todas as medidas propostas e começar a receber clientes. É o caso do Jardim dos Sentidos, que a partir das 12 horas desta segunda-feira já tem mesas prontas para servir os seus clientes. Quanto ao buffet a que todos estavam habituados, vai funcionar de maneira diferente para garantir a segurança de todos os clientes.

Veja como 10 restaurantes com opções saudáveis, inclusive veganos e vegetarianos, vão abrir as portas a partir de 18 de maio.

Ela Canela e TU by Ela Canela

Quando abrirem portas, podem ser esperados novos produtos nos espaços de Campo de Ourique e São Sebastião

Os dois restaurantes ainda não têm data de abertura oficial mas Joana Oliveira, proprietária do Ela Canela e do TU by Ela Canela, conta à dobem. que a equipa está a fazer tudo para conseguir que os espaços abram portas no início de junho. “De qualquer forma, só vamos abrir quando tivermos tudo muito bem organizado ao detalhe”, explica a proprierária.

Apesar de ainda não ter uma data concreta em mente, Joana Oliveira adianta que ambos os espaços vão sofrer alterações para responder às medidas de segurança impostas pela Direção-Geral da Saúde (DGS), embora existissem cuidados que os restaurantes já cumpriam. “Sempre tivemos controlo apertado de higiene e desinfeção, mas agora vamos tornar isso mais visível para as pessoas se sentirem confortáveis, para estarem mais à vontade, como mostrar os registos de limpeza. Também sempre tivemos muito cuidado com as trocas de fardas do staff, mas obviamente que vamos cumprir as regras da DGS.”

Joana Oliveira adianta que, muito provavelmente, os dois espaços apenas vão funcionar com pouco menos de metade da sua ocupação habitual, apenas por reserva, e vão apostar na criação de uma esplanada no Ela Canela. “Já tivemos esplanada, depois deixamos de ter por causa do vento, mas parece-nos uma boa alternativa: temos 20 metros quadrados de espaço exterior que podem ser aproveitados”, salienta a proprietária, que também revela uma novidade no espaço TU by Ela Canela.

“Como o TU está junto ao El Corte Inglés, numa área de muito movimento, vamos implementar um serviço de take-away com comida previamente embalada, pronta a levar na vitrine. Estamos a pensar em crepes, panquecas, iogurtes, batidos, coisas que as pessoas possam pegar, ver que está embalado e sabem que não vai existir mais manipulação da comida, já está pronto”, diz Joana Oliveira à dobem..

Outra medida de segurança implementada nos dois espaços é abandonar os pagamentos com dinheiro. “Mesmo antes de isto tudo acontecer, já queríamos abolir os pagamentos com dinheiro e funcionar com multibanco. O dinheiro é uma coisa muito suja, já queríamos fazer isto de outra forma e vamos fazer a mudança”, conclui Joana Oliveira.

Ela Canela: Rua Azedo Gneco, 74B, Campo de Ourique, 213 960 475
TU by Ela Canela: Rua Marquês Sá da Bandeira, 16A, São Sebastião

LOCAL — Your Healthy Kitchen (Avenida)

O espaço da Avenida vai suspender os brunches ao fim de semana

É já no próximo dia 18 de maio que o LOCAL vai abrir. À dobem., Ricardo Dias, chef da cozinha do restaurante da Avenida, admitiu que vão implementar muitas medidas de segurança, para além das recomendadas pela DGS. “Claro que vamos apostar no distanciamento de segurança. Estamos a pensar em manter a ocupação de cerca de metade da sala, mas se verificarmos que não há uma distância segura entre mesas e clientes, vamos reduzir ainda mais.”

Para além das distâncias, o espaço vai ser desinfetado constantemente, “antes, durante e depois dos atendimentos” e só vai funcionar através de reservas. Também a carta e os serviços do LOCAL vão sofrer alterações, e Ricardo Dias confirma que o brunch de fim de semana, servido em regime buffet, vai ser suspenso. “Não há como manter”, salienta o chef de cozinha.

Para além do espaço da Avenida, o LOCAL tem outros três restaurantes, com espaços no Mercado de Cascais, em Santos e em Alvalade, e todos abrem portas segunda-feira, 18 de maio.

LOCAL — Your Healthy Kitchen: Rua Rodrigues Sampaio 134, Lisboa, 926 437 641

Jardim dos Sentidos (Príncipe Real)

O Jardim dos Sentidos, no Príncipe Real, é um dos restaurantes que vai abrir as portas já a partir de terça-feira, 19 de maio. À dobem. Garantem que vão cumprir com as medidas de higiene e segurança impostas pelo Governo. Todos os funcionários usarão máscaras, a zona da caixa terá acrílicos, assim como a do buffet, que se vai manter. 

Mas não vai funcionar como antes. Agora, sempre que quiser voltar a encher o seu prato será um dos funcionários — que está a trabalhar de máscara e luvas e a cumprir as medidas de higiene — que servirá o que o cliente quiser. Quanto a lugares, mantém-se abertas as duas salas, o jardim, a esplanada coberta, o telheiro e o dome. Contudo, as mesas vão estas mais afastadas entre elas. O ideal, mesmo, será fazer reserva.

Além disso, o Jardim dos Sentidos vai passar a introduzir pratos com ingredientes sazonais, e todos os produtos vão ser adquiridos diretamente a produtores locais. 

Jardim dos Sentidos: Rua da Mãe de Água 3, Príncipe Real, 912 888 408

Miss Saigon (Parque das Nações)

O Miss Saigon, no Parque das Nações, é um dos vários restaurante que, por agora, vai somente funcionar em regime take-away. Tal como explicas à dobem. Paulo Almeida e Cláudia Salú, responsáveis pelo restaurante vegano do Parque das Nações. O espaço esteve duas semanas a servir refeições neste regime e, na altura de publicação deste artigo, preparava-se para começar a terceira. “Para já, vai ser assim, depois, logo veremos como vamos fazer, mas continuamos abertos.”

Os proprietários explicam ainda que esta é a segunda crise pela qual passam desde que começaram este negócio, há 11 anos, mas que, ao contrário do que aconteceu em 2010, a pandemia trouxe outros impactos. “Uma pandemia desde tipo que estamos a passar ‘mexe’ com tudo, desde o social, psicológico, e com todos os sectores saúde, justiça, educação, mas, sobretudo com os hábitos, os valores sociais, com as cidades, com a relação entre as pessoas e os locais públicos e privados”, explicam. “Nunca houve tanta gente a usufruir ao mesmo tempo das suas casas, do espaço privado.”

Foi por isso que, e aliado ao facto de terem, desde sempre, apostado no serviço de take-away.e delivery no Miss Saigon, que optaram por manter estas modalidades. À dobem. explicam que estes foram dos serviços que mais cresceram nos últimos anos e consideram-nos já enraízados nos hábitos de consumo da população. Além disso, acreditam também que há uma tendência cada vez maior em procurar alimentos mais saudáveis. “A pandemia só veio reforçar ainda mais esta tendência, não só, em nos alimentarmos melhor, de uma forma mais consciente e de preferência evitando o consumo de animais”, explicam.

Para já, não fazem planos para voltar a abrir portas do Miss Saigon, até porque, tal como dizem, abrir as portas de um restaurante envolve uma logística e um investimento bastante grandes. “o novo modelo de espaço para a restauração requer não só intervenção de arquitectos, como de técnicos de higiene e segurança no trabalho e alimentar e muita tecnologia (para chegar ao extremo de modelos já implementados em alguns países asiáticos em que o funcionário que trata do pedido são robots)”, dizem.

Por agora, se quiser encomendar do Miss Saigon, pode fazê-lo através do site. É lá que encontra todas um menu novo todas as semanas que incluí desde pratos e acompanhamentos às sopas, sobremesas e até bebidas. Há também a opção de pedir scones e tartes. Todas as encomendas devem ser feitas com 48 horas de antecedência e o valor mínimo é de 20€.

Miss Saigon: Avenida Boa Esperança, 4C, Parque das Nações, 210 996 589

Kitchen Dates (Telheiras)

O restaurante sem desperdício de Telheiras foi um dos que encerrou as suas portas, ainda antes do Estado de Emergência ter sido decretado em Portugal. A 13 de março, Rui Catalão e Maria Antunes escreviam no Instagram que “dadas as circunstâncias actuais, decidimos fechar a porta cá de casa por tempo indeterminado. Fazemo-lo para protecção nossa e de todos os que possam por aqui passar, mas também porque de momento não é viável economicamente continuar.”

Entretanto, e com o avançar da pandemia, optaram por lançar um site novo, com loja online, e implementar um serviço de take-away e delivery. Desde o pão de barbela à nutarroba, uma pasta de avelã, alfarroba e figo, sem esquecer as manteigas de avelã ou até mesmo os cogumelos pleurotus amarelos do Isidro, um dos fornecedores do Kitchen Dates, há um pouco de tudo que ainda pode encomendar através do site. 

A má notícia é que, ao contrário de muitos restaurantes, os Kitchen Dates vão continuar com as portas fechadas durante mais algum tempo. À dobem., Maria e Rui confessam que não sentem que este seja o momento certo para voltar a abrir por considerarem que ainda não estão reunidas todas as condições de segurança para o fazerem. “Sentimos que as pessoas ainda não estão preparadas para dividirem um espaço público deste género com outras e, por isso, a experiência da restauração, que é o que proporcionamos e é muito mais do que comer e sair, não seja de todo a que queremos oferecer aos nossos clientes”, dizem. “Além disso, todas as restrições impostas nesta fase são muito limitantes e isso faria com que deixasse de ser sustentável tanto economicamente como em termos de recursos humanos, porque neste momento estamos só os dois a trabalhar.”

Até haver uma data de abertura, pode sempre fazer a encomenda dos pratos do menu, atualizado todas as semanas, através do site dos Kitchen Dates. A taxa de entrega para Lisboa tem o custo de 2,50€ e para zonas como Amadora, Carnaxide, Linda-a-Velha, Odivelas, Sacavém e Queluz fica a 5€. Se morar na Margem Sul, fique atento à página de Instagram, porque por vezes também fazem entregas nessa zona.

Kitchen Dates: Rua Seminário 7A, Telheiras, 215 804 677

The Green Affair

Como tantos outros espaços, o The Green Affair, com restaurantes no Saldanha e no Chiado, vai voltar a receber clientes a partir desta segunda-feira, 18 de maio. Contudo, serão implementadas novas medidas de segurança de acordo com as normas impostas pelo Governos e pela DGS. 

Ao entrar, pode contar com zonas para desinfetar as mãos, maior controlo no fluxo de clientes, distância de segurança e redução do número de lugares nos dois restaurantes, de forma a conseguir cumprir com a distância de, pelo menos, dois metros entre clientes. Além disso, as equipas serão rotativas, para reduzir os contactos, e haverá um reforço do plano de desinfeção e higienizacão de todas as superfícies

O Green Affair terá também algumas novidades, entre elas o facto de deixarem de existir cartas físicas. Só precisa de ter consigo um smartphone. “A carta neste momento está disponível por QR code”, explica Henrique à dobem. “Estamos a terminar de desenvolver um QR code que permitirá ao cliente consultar a ementa, fazer o pedido e até pagar a partir do smartphone. Infelizmente não ficou pronto para a abertura, mas está para breve.”

Além disso, há novidades na carta. A pratos como o Sem Espinhas à Lagareiro (9,85€) ou o Caril Katsu (10,45€) juntam-se a Lasagna (9,25€), feita com bolognesa de soja e mistura artesanal de cogumelos, com molho de tomate, massa caseira e ainda peste de manjericão e o Tofu Biológico Espiritual (8,95€), cozinhado e marinado, com cenoura ocm sabores do mar, envolvido em molho de natas vegetais. 

The Green Affair Saldanha: Avenida Duque de Ávila 32A, Saldanha, 967 472 286
The Green Affair Chiado: Rua Serpa Pinto, 15A, Chiado, 969 398 228

Ao 26 Vegan Food Project (Chiado) e O Botanista (Cais do Sodré)

Depois de terem implementado serviços de entrega ao domicílio e de take-away, O Botanista, no Cais do Sodré, e o Ao 26 Vegan Food Project vão voltar a abrir, embora continuem a manter estas modalidades, tal como diz Lucas Mansinho, administrador dos espaços, à dobem. 

Entre as várias medidas de segurança para a reabertura, que partilharam através das redes sociais, os restaurantes destacam-se a redução da quantidade de clientes dentro do espaço, a constante desinfeção de superfícies e ainda o menu que chega à mesa num formato digital. “O cliente tem acesso através do telemóvel e pode escolher os pratos por ali, sem ter de tocar em menus com as mãos”, explica Lucas. 

Os horários do Ao 26 vão manter-se e pode ir visitar o restaurante todos os dias entre as 12 e as 23 horas. Já o Botanista estará aberto de segunda-feira a sábado das 12 às 22 horas e, no domingo, das 12 às 16 horas. O ideal, aconselha Lucas, será sempre fazer a reserva antes de ir.

Botanista: Rua Dom Luís I 19, Cais do Sodré, 967 989 184
Ao 26: Rua Vitor Cordon, 26, Chiado, 967 989 184

Legumi Sushi Vegan (Graça)

Os fãs do sushi 100% vegano da Graça vão ter de aguardar pelo próximo ano para voltarem a poder visitar o restaurante. Leonardo Telles, o dono, decidiu manter o espaço fechado e optar apenas por fazer entregas dos pratos em casa dos clientes. Na página de Facebook, partilhou uma data simbólica de abertura:  2 de fevereiro de 2021.

“Foi uma decisão apertada de tomar, mas se não agíssemos rápido muito provavelmente não conseguiríamos manter o nosso conceito vivo”, revela à dobem. “Somos um negócio onde, sem apoio financeiro nenhum, optamos por montar uma cozinha industrial sem a possibilidade de atender ao público.”

A ideia, explica, é manter o máximo de segurança possível, sem prejudicar os clientes que já são fieis ao Legumi. Desta forma, conseguiu manter a sua equipa, garantindo a qualidade a que já todos estavam habituados, e teve apenas de contratar um estafeta próprio, treinado especialmente para evitar ao máximo o contacto. Contudo, Leonardo não esconde que gostaria de ter as portas abertas.

“Gostaria muito de poder manter as portas abertas como antes, mas não seria o mais sensato neste momento com tantas incertezas”, diz. “Sinto-me muito desconfortável para simplesmente agir como se não fosse nada de mais e atender as pessoas normalmente, por isso, preferi optar por dar o nosso melhor para tornar as mesas de casa mais especiais e bonitas com os nossos pratos.”

O menu está disponível através do site, onde pode também fazer as encomendas.

Legumi Sushi Vegan: Calçada do Monte 92, Graça, 920 440 495

Texto escrito por: Catarina Ballestero e Ana Gordo