molho pesto

Alimentação

Aprenda a fazer o molho pesto que só demora 5 minutos, é vegan e pode ser usado em tudo

Esta receita tem alguns twists, mas é igualmente delicioso e uma opção rápida para aqueles dias em que falta vontade (e tempo) para fazer o jantar

DOBEM.
leia este artigo em: 5 mins

Se nunca chegou a casa com vontade de se atirar para o sofá e não pensar em mais nada até à manhã seguinte, então envie-nos um e-mail a contar qual é o segredo. A sério. Pare tudo o que está a fazer, porque precisamos de saber que fórmula mágica é essa. Na grande maioria dos dias, a criatividade para preparar o jantar (e marmita do dia seguinte) é praticamente nula, mas há sempre uma receita básica, rápida e deliciosa que é o segredo para qualquer jantar: o molho pesto. 

Basta juntar alguns ingredientes num liquidificador ou processador de alimentos e em menos de dois minutos tem o molho feito. Enquanto isso, a massa pode estar a cozer num tacho ao lado. Ainda sobra tempo para lavar as caixas da marmita e, quem sabe, até preparar os snacks para o dia seguinte. Ah, e a melhor parte? Só vai ter de lavar o processador e o tacho onde cozinhou a massa. 

Outra das grandes vantagens do molho pesto, além de ser delicioso, é que, como diz Marta Candeias, autora desta receita, é que “é daquelas receitas que é tudo em 1: rápido, fácil, com poucos ingredientes e que vai bem com quase tudo. E digo “quase” porque ainda não me aventurei a colocá-lo nas papas de aveia”, e ainda bem Marta, ainda bem. Prevemos que essa combinação pode não ser a melhor. Por aqui, preferimos usar o pesto para colocar nas massas. 

A versão original leva manjericão, pinhão e queijo parmesão. Esta receita da Marta Candeias tem alguns twists. O manjericão não pode faltar, claro, mas as nozes ocupam o lugar do pinhão, e podem ser totalmente omitidas se escolher usar apenas sementes de cânhamo que, com os espinafres, tornam o molho ainda mais rico a nível nutricional, e, rufem os tambores, não leva queijo. Mas calma, o sabor está lá, tudo graças à levedura nutricional.

Até dá vontade de comer diretamente do frasco

O molho pode ser servido com qualquer tipo de massa, mas Marta Candeias recomenda que escolha uma opção glúten free. Existem várias à venda no mercado, como o esparguete de trigo sarraceno ou a massa de arroz com quinoa. Basta prepará-las seguindo as instruções da embalagem e servir. O pesto pode ser consumido frio ou aquecido.  

Pesto de espinafres e nozes

Ingredientes

— Uma chávena e meia de folhas de espinafres (frescos)

— Um quarto de chávena de manjericão (fresco)

— Um terço de chávena de levedura nutricional

— Um terço de chávena de mistura de sementes de cânhamo e nozes (caso prefiram uma opção sem frutos secos, omitir as nozes e substituir por sementes de cânhamo)

— Uma colher de sopa de sumo limão

— Um dente de alho

— Um terço de chávena de azeite (mais um pouco de azeite q.b.)

— Sal e pimenta a gosto

Preparação

Comece por higienizar as folhas de espinafres e manjericão.

No processador, coloque todos os ingredientes e triture até a mistura ficar espessa e cremosa, raspando as paredes do copo sempre que necessário (para quem gosta de sentir a textura das sementes de cânhamo, aconselho a juntarem apenas no fim, dando apenas umas ligeiras pulsadas);

Se o molho estiver demasiado denso, adicionar mais um fio de azeite (ideal para misturar com uma massa, por exemplo);

Está pronto a servir ou para ser guardado no frigorífico até uma semana.