especiarias anti-inflamatórias

Alimentação

Da curcuma à salsa, conheça as especiarias anti-inflamatórias e quais as melhores combinações para o organismo

Sabia a temperatura influencia os benefícios das especiarias? Falámos com uma nutricionista que esclarece a melhor forma de lhes tirar proveito (e sabor).

Adoramos ter na cozinha inúmeros frascos de vidro que evidenciam as cores de mil e uma especiarias que comprámos. Mas sabe que existem especiarias anti-inflamatórias que podem fazer maravilhas pela saúde?

É tão verdade, que a nutricionista Mafalda Rodrigues de Almeida dá até alguns exemplos: “A curcuma, o gengibre, a canela, a pimenta, a mostarda, o alho, os orégãos e até mesmo os coentros e a salsa possuem propriedades anti-inflamatórias”, afirma.

A autora dos livros “Superalimentos” e “Equilíbrio” junta muitas destas especiarias às receitas que partilha frequentemente na sua página de Instagram e no site Loveat e, apesar de revelar que “não existem melhores ou piores combinações para obter os benefícios das especiarias, o ideal é variar”, diz que há duas que se destacam.

São elas a curcuma e a pimenta preta que, quando se juntam, afastam asas inflamações que querem invadir o nosso corpo. Não é por acaso que o golden latte (ou leite dourado) se tornou popular nos últimos tempos. É que além de ficar bonito em qualquer pequeno-almoço, é a combinação ideal para afastar o frio e as inflamações a que estamos sujeitos, principalmente no inverno.

Onde aplicar as especiarias anti-inflamatórias?

Além dos benefícios para a saúde, outra das vantagens das especiarias anti-inflamatórias é que dão sabor à comida e são extremamente versáteis: tanto vão bem em bebidas quentes, como em batidos, panquecas e sumos. Até mesmo na confeção de pratos — nos quais é mais usual adicionar coentros ou alho, — todas são bem-vindas.

“Não existe nenhuma que possa ser considerada proibida”, esclarece a nutricionista Mafalda, “contudo, em caso de alergia alimentar a determinada especiaria, aí sim, de forma a evitar complicações, deve-se proibir o seu consumo”, acrescenta.

A melhor forma de tirar proveito dos seus benefícios

As combinações de especiarias pouco importam, mas o mesmo não se pode dizer da temperatura a que as consumimos.

Não é novidade que os alimentos reagem de diferente forma ao calor e as especiarias não são exceção. “Tendo em conta que cozinhar a temperaturas elevadas provoca a perda de alguns nutrientes por parte dos alimentos, de forma a evitar esta perda e a garantir todos os benefícios que as especiarias nos podem dar, o ideal é não as sujeitar a temperaturas muito elevadas”, explica Mafalda Rodrigues de Almeida.

Então, afinal, em que ficamos em relação ao golden latte? “Pode ser tão benéfico como um chá frio, desde que se juntem as especiarias já fora do lume ou que sejam fervidas durante apenas um a dois minutos”, esclarece a especialista em nutrição.

Muitas vezes vemos também quem comece a manhã com aquilo que denominaram de “shot de imunidade” — carregado de especiarias anti-inflamatórias como é o caso do gengibre, curcuma e pimenta preta —, com o objetivo de reforçar o sistema imunitário e afastar as tais inflamações. Mas será esta uma boa opção?

“Pode ser uma opção para quem gosta de sabores fortes e vai ajudar a aumentar o consumo de nutrientes, mas importa realçar que o seu consumo não deve substituir refeições e deve estar aliado a uma alimentação saudável e equilibrada“, destaca a nutricionista Mafalda Rodrigues de Almeida.

O ideal é, por isso, aplicar as especiarias aos pratos do dia a dia, de modo a garantir que está a munir-se de todas as suas propriedades anti-inflamatórias, bem como a reduzir a quantidade de sal, substituído pelo sabor forte das especiarias.

Se tiver poucas ideias para aproveitar todos os benefícios da canela, do gengibre ou mesmo dos coentros, deixamos algumas sugestões (sem esquecer o golden latte caso nunca tenha experimentado).

Melhor do que conhecer especiarias anti-inflamatórias, é saber onde as aplicar

Leite Dourado

Ingredientes:
— Uma chávena de leite de coco
— ¼ colher de chá de curcuma em pó
— ¼ colher de chá de canela em pó
— Pitada de pimenta preta q.b.
— Uma colher de chá de xarope de ácer (ou outro adoçante líquido)

Preparação:
Colocar o leite num tacho e levar ao lume. Adicionar o curcuma, a canela, a pimenta preta e o xarope de ácer e aquecer até à temperatura desejada.

Com a ajuda de uma mini-varinha ou vara de arames, incorporar todos o ingredientes, criando também alguma espuma. Desligar o lume e beber imediatamente.

Esta receita é do blogue “Dicas da Oksi“.

Queijo vegan de ervas aromáticas e pistáchios

Ingredientes:
— 2 chávenas cajus crus
— 2 dentes de alho
— 3,5 colheres de sopa levedura nutricional (em pó)
— Sumo de 1 limão
— Raspa de ½ limão
— Uma colher de chá pasta de miso (opcional)
— Uma colher de chá vinagre de sidra
— ⅓ chávena água
— 2 colheres de sopa azeite
— Uma colher de chá alho em pó
— 2 colheres de sopa cebolinho picado
— ½ colher de chá sal
— ¼ colher de chá pimenta preta moída
— ¼ colher de chá curcuma
— Uma colher de sopa orégãos
— 4 colheres de sopa pistáchios picados

Preparação:
Coloque os cajus num frasco com água e deixe-os a demolhar entre 12 a 24 horas no frigorífico. Uma vez demolhados, escorra os cajus e adicione-os a um processador de alimentos, juntamente com os restantes ingredientes (alho, levedura nutricional, sumo e raspa de limão, vinagre de sidra, água, azeite, cebolinho, sal, pimenta preta e açafrão). Processe até obter uma mistura suave e cremosa.

Coloque um coador ou peneira sobre uma laça larga e sobre este coloque um pano para queijo ou duas camadas de gaze. Verta a mistura preparada anteriormente sobre o pano e de seguida enrole as pontas para criar o formato de “queijo” redondo. Coloque o queijo envolto no pano (ainda sobre a peneira e taça) no frigorifico, durante pelo menos oito horas para este perder o excesso de humidade.

Entretanto, pique muito bem os pistachos. Numa taça ou prato misture os pistáchios e os orégãos. Desenrole o queijo do pano/ gaze e com as mãos volte a formar uma bola. Cubra-o com a mistura de orégãos e pistáchios picados. Pode manter a bola de “queijo” no frigorífico, enrolada em película aderente, até cinco dias.

Esta receita é do blogue “Green Delights“.

Paté de lentilhas com gengibre

Ingredientes:
— 100 gramas de lentilhas vermelhas
— 3 colheres de sopa de azeite + azeite para polvilhar
— 2 dentes de alho
— Uma cebola
— Uma colher de chá de gengibre fresco ralado
— Sementes de sésamo para polvilhar
— Sal
— Pimenta

Preparação:
Coloque as lentilhas num tacho e cubra com água. Leve a lume brando durante 10 minutos. Escorra a água excedente e coloque num processador.

Junte às lentilhas o azeite, a cebola, o gengibre, o alho, sal e pimenta e triture até obter um creme uniforme.

Coloque as sementes de sésamo numa frigideira antiaderente e torre-as ao lume até ficarem douradas.

Sirva polvilhando com azeite e as sementes de sésamo.

Esta receita é do blogue “Loveat“.

Caril de tofu com maçã e curgete

Ingredientes (para 2-3 pessoas):
— 250 gramas de tofu natural fresco
— 2 maçãs vermelhas (fuji, royal gala ou outra variedade)
— Um curgete
— 200 ml de leite de coco
— 2-3 dentes de alho
— Uma cebola pequena
— Gengibre
— Caril em pó
— Açafrão e piripiri e pó (opcional)
— Coentros frescos
— 2 colheres de sobremesa de azeite
— Sal

Preparação:
Tempere o tofu com cerca de 1 a 2 horas de antecedência. Corte-o em cubos, coloque-o numa taça, junte um dente de alho picado e gengibre ralado e envolva bem. Reserve.

Num tacho, coloque o azeite, um a dois dentes de alho picados e uma cebola picada. Deixe alourar.

De seguida, adicione as maçãs descascadas e cortadas em fatias finas. Adicione também a curgete cortada em pedaços, com casca, e deixe alourar levemente.

Por fim, junte o tofu previamente temperado e uma a duas colheres de chá de caril (a quantidade vai depender da intensidade do caril). Envolva bem, tape o tacho e deixe cozinhar em lume brando, durante cerca de 10 minutos até que a curgete fique macia. Se necessário, junte um pouco de água durante a cozedura.

Adicione o leite de coco, tempere com sal, misture suavemente e deixe cozinhar mais cerca de 5 minutos.

Ao servir, polvilhe com coentros frescos. Acompanhe com arroz.

Esta receita é do blogue “Inês Aires Nutricionista“.