Alimentação

Quer aproveitar a abóbora do Halloween? Temos 6 receitas de meter medo à gula

Apenas com uma abóbora pode fazer as receitas mais saborosas e originais, desde uma sopa a gnocchis. Não acredita? Então espreite as nossas sugestões e evite o desperdício alimentar.

As castanhas, diospiros, nozes, e romãs já inundaram os mercados para fazer ver que o outono chegou. Com ele vem também o Halloween, que se celebra já na noite deste sábado, 31 de outubro, bem como as abóboras às quais gostamos de dar vida recortando-lhes olhos e boca.

Para isso, é preciso tirar o recheio, que fica arrumado a um canto à espera que lhe demos uso. E sendo uma equipa dobem., não queremos que haja qualquer desperdício alimentar e, por isso,se ainda não teve nenhuma ideia genial do que fazer com o recheio da sua abóbora de Halloween, temos seis sugestões à altura de um jantar com o legume da época e que faz jus à celebração do Dia da Bruxas.

É que estas receitas arriscam-se a ficar tão deliciosas que são de meter medo à fome (ou à vontade de comer). O que vale é que são todas saudáveis, mas o segredo está apenas na dose. Entre doce e travessura, escolha cozinhar neste Halloween, porque para aguentar qualquer susto é preciso um estômago forte.

Creme de abóbora com fio de “neve” e sementes

Ingredientes:
— Uma abóbora
— Uma batata-doce pequena;
— Uma cebola média
— Uma talo de aipo
— 3 cenouras
— 4 colheres de azeite q.b
— 1/2 chávena de natas de arroz ou soja
— Sal e pimenta q.b

Preparação:
Pré-aqueça o forno a 180ºC. Corte a abóbora que sobrou do Halloween e a batata-doce em tiras grossas. Disponha estas tiras num tabuleiro com o sal e a pimenta e depois regue com azeite. Leve ao forno durante 30 minutos.

Enquanto a abóbora e a batata-doce assam, coloque a cebola num tacho e deixe alourar, juntamente com as cenouras, o aipo e um fio de azeite.

Junte a água e deixe ferver.

Quando a abóbora e a batata-doce estiverem assadas e os vegetais cozidos, junte tudo e triture até obter uma concistência cremosa.

Tempere a gosto e sirva com um fio de natas.

Esta receita é do livro “Refeições Saudáveis Todos os Dias“, de Ana Garcez.

Torrada de batata-doce com manteiga de pevides de abóbora

Ingredientes (para quatro pessoas):
— Uma batata-doce grande
— Azeite q.b
— Framboesas q.b

Ingredientes para a manteiga de pevides de abóbora:
— 200 gramas de pevides de abóbora
— 2 colheres de sopa de óleo de coco neutro derretido (25 gramas)

Preparação:
Corte a batata-doce em fatias com cerca de 1,5 cm e disponha-as num tabuleiro de ir ao forno, forrado com papel vegetal. Pincele a batata-doce com azeite e leve ao forno, pré-aquecido a 180ºC, durante cerca de 45 minutos.

Coloque as pevides e o óleo de coco neutro num processador de alimentos e triture durante cerca de 15 minutos ou até obter uma textura cremosa, fazendo pausas para soltar a mistura agarrada às paredes da máquina.

Barre a manteiga de pevides de abóbora nas fatias de batata-doce e decore com framboesas.

Esta receita é do livro “Eu Sei Como Ser Feliz“, de Isabel Silva.

Millet com abóbora

Ingredientes:
— Uma chávena de millet
— 4 chávenas de água
— 2 chávenas de abóbora cortada em cubos
— Uma pitada de sal
— Cebolinho ou coentros (opcional)

Preparação:
Lave e toste o millet suavemente. Junte a abóbora, a água e o sal. Tape a panela de pressão, deixe levantar pressão e coloque a chapa difusora. Reduza o lume para o mínimo e cozinhe durante 20 a 25 minutos. Sirva com cebolinho ou coentros picados.

Pode servir quente ou colocar o millet numa forma e deixar que arrefeça. Assim que estiver frio desenforme e corte às fatias. Sirva simples ou toste numa frigideira com um fio de azeite e tempere com umas gotas de shoyu. Pode servir com molho de cogumelos ou cebolinho picado.

Dica: Bom para fortalecer o estômago e o pâncreas.

Esta receita é do livro “Tudo o que Comemos Conta“, de Geninha Horta Varatojo.

Salada de grão-de-bico e abóbora

Ingredientes para a salada:
— 120 gramas de abóbora‐manteiga
— Uma colher de chá de pimentão‐doce
— Uma colher de chá de ervas secas
— Sal e pimenta
— Azeite
— 80 gramas de grão‐de‐bico, escorrido e lavado
— 1⁄2 colher de chá de malagueta, em pó
— Um punhado grande de rúcula (30 gramas)
— 40 gramas de tomate seco ao sol, em pedaços

Ingredientes para o molho:
— Uma colher de sopa de azeite
— 1⁄2 colher de sopa de vinagre de sidra
— 1⁄2 colher de chá de curcuma
— Uma colher de chá de mel

Preparação:
Aqueça o forno a 220ºC (200ºC se for ventilado). Descasque a abóbora que sobrou do Halloween e corte‐a em pedaços do tamanho de uma garfada. Coloque‐os num tabuleiro com o pimentão‐doce, a mistura de ervas, um pouco de sal e o azeite. Deixe no forno durante cerca de 30 minutos, até ficar macia.

Coloque o grão noutro tabuleiro com a malagueta em pó, misture bem e deixe cozinhar durante 20 minutos, até estarem firmes, mas não demasiado crocantes.

Junte todos os ingredientes do molho, temperando com uma pitada de sal e muita pimenta.

Assim que o grão e a abóbora tiverem cozinhado e arrefecido, misture‐os com a rúcula e o tomate seco, e depois cubra com o molho e misture tudo muito bem.

Dica: Se não tiver abóbora de Halloween, experimente usar batata‐doce, que
também fica muito bem nesta receita.

Esta receita é do livro “As Delícias de Ella – Todos os Dias“, de Ella Woodward.

Nosha Kakuru Tshoem (prato com abóbora inspirado na gastronomia do Butão)

Ingredientes:
— 2 chávenas de chá de abóbora cortada em cubos
— Uma chávena de chá de seitan cortado em cubos
— 3 colheres de sopa de azeite
— 3 dentes de alho finamente picados
— Sal marinho q.b
— Uma colher de sopa de shoyu
— Uma colher de chá de pimenta-preta em pó
— Uma colher de chá de malagueta em pó

Preparação:
Comece por envolver o seitan com o shoyu e deixe absorver este tempero durante 10 minutos. De seguida, numa panela ou sertã antiaderente, frite o seitan no azeite.

Quando estiver douradinho, adicione a abóbora e o alho picado e deixe cozinhar até a abóbora estar macia. Se necessário, acrescente um pouco de água para não queimar nem ficar agarrado à panela.

Termine temperando com o sal, a pimenta e a malagueta em pó.

Esta receita é do livro “Sabores do Viajante“, de Daniela Ricardo.

Gnocchi de abóbora

Ingredientes para os gnocchi:
— 400 gramas de puré de abóbora cabacinha
— 400 gramas de puré de batata-doce (1,5 quilos antes de cozer)
— 200 gramas de farinha de espelta
— 50 gramas de sêmola de trigo
— Uma colher de café de noz-moscada
— Sal e pimenta-preta q.b

Ingredientes para o creme verde:
— 250 gramas de rúcula ou espinafres
— 400 ml de creme de aveia
— Sal, pimenta-preta e noz-moscada q.b

Preparação:
Para os gnocchi, comece a cortar a abóbora de Halloween ao meio, no sentido longitudinal, retire as sementes e leve ao forno a cozinhar até estar macia. Faça um puré com toda a abóbora, amassando.

Apesar de a ter cozinhado no forno, a abóbora tem muito líquido, pelo que será necessário colocar o puré num saco de pano e espremer toda a água. Esta é uma operação necessária para os gnocchis fiquem mais leves e macios.

Coza as batatas-doces com casca. Quando estiverem mornas, tire a pele e desfaça o puré. Normalmente não é necessário passar pelo pano para retirar o excesso de água.

Junte os dois purés e misture bem. Acrescente a farinha, a sêmola, a noz-moscada, o sal e a pimenta. Amasse o suficiente para obter uma massa unida. Use mais sêmola se a massa estiver pegajosa. A sêmola servirá também para envolver os gnocchi e os manter separados e descolados.

Agora vem a parte mais divertida. Divida a massa, faça rolinhos e corte em pequenas porções para dar forma aos gnocchi. Podem fazê-los com o formato que quiserem, com moldes e sem moldes.

Coloque-os no frigorífico até à hora de cozinhar. Nessa altura, leve ao lume água numa panela, com sal. Assim que ferver, coloque os gnocchi. Quando flutuarem, retire-os logo, com a ajuda de uma escumadeira.

Agora é só colocar o molho, um fio de azeite e levar ao forno a gratinar um pouco.

Para fazer o creme verde, ferva a rúcula ou os espinafres e escorra-os. Coloque numa panela o creme de aveia, tempere com sal, pimenta e noz-moscada a gosto. Acrescente os vegetais e triture tudo. Leve ao lume até levantar fervura. Desligue e sirva.

Esta receita é do livro “Sabores do Viajante“, de Daniela Ricardo.